39 cadáveres encontrados dentro de camião no Reino Unido

Polícia inglesa descobre 39 cadáveres em camião proveniente da Bulgária
DR

Foi durante a madrugada que a polícia encontrou os 39 corpos, um deles de um adolescente, num camião em Essex. Veículo tinha feito viagem desde a Bulgária. Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou-se “chocado”.

David Mandim

Um total de 39 corpos foram descobertos no interior de um camião em Essex, Inglaterra. A polícia inglesa está a investigar como homicídio e deteve o condutor do veículo, um homem de 25 anos oriundo da Irlanda do Norte

A polícia de Essex foi chamada para o Parque Industrial Waterglade, em Grays, por volta das 01h40 de quarta-feira e descobriu os corpos no veículo. As informações disponíveis indicam que são 38 adultos e um adolescente, muito provavelmente imigrantes que procuravam entrar de forma ilegal no Reino Unido.

Segundo a polícia, o camião chegou da Bulgária e entrou no país via Holyhead (País de Gales), no sábado.

Um homem de 25 anos da Irlanda do Norte foi preso por suspeita de homicídio.Segundo a polícia, o camião chegou da Bulgária e entrou no país via Holyhead, no sábado.

O superintendente Andrew Mariner disse que estão a tentar identificar as vítimas, mas antecipou que pode ser um “processo demorado”. “Detivemos o motorista do camião. Permanece sob custódia policial enquanto as investigações continuam”, acrescentou.

Paige Wade sequia de carro para casa, após sair do trabalho por volta das 04h15, e viu a polícia isolar uma entrada do local na Eastern Avenue.”Sabia que era sério por causa de muitos carros e ambulâncias que estavam lá, mas a polícia tinha estacionado veículos em todo o acesso da estrada para que se não pudesse ver nada”, contou à Sky News.

Seamus Leheny, dirigente de uma associação de transportes da Irlanda do Norte, disse à Press Association: “Se o camião veio da Bulgária, entrar na Grã-Bretanha via Holyhead é uma rota alternativa. As pessoas têm dito que a segurança e as verificações aumentaram em lugares como Dover e Calais, por isso pode ser visto como uma maneira mais fácil de entrar pela estrada de Dublin. É um longo caminho e adiciona um dia extra à jornada”, disse, citado pela BBC.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Bulgária disse que “não tinha informações” sobre o incidente antes dos relatos da imprensa britânica. Afirmou ao jornal búlgaro Dnevnik: “A nossa embaixada está em contacto com as autoridades locais e está a seguir o caso”.

Em conferência de imprensa, às 11.30, a polícia britânica deu conta que as 39 pessoas estavam já mortas quando foram encontradas. Pippa Mills, chefe-adjunta, explicou que até ao momento ainda não foi possível identificar nenhuma das vítimas, nem a sua origem. Adiantou que o motorista que conduzia o camião permanece detido.

“A identificação das vítimas continua a ser a nossa prioridade número um”, afirmou Pippa Mills, que também solicitou que se alguém tiver informações sobre o camião, e o seu trajeto desde 21 de outubro, deve comunicar com a polícia. A responsável antecipou que a investigação pode ser “longa”.

A polícia búlgara já foi informada e irá também colaborar nas investigações.

Richard Burnett, presidente da Associação do Transporte Rodoviário de Mercadorias (RHA, na sigla em inglês), afirmou à imprensa britânica que tudo indica que se trata de um camião frigorifíco. Descreveu as condições do interior do camião como sendo “horríveis” para qualquer pessoa.

Neste tipo de camiões as temperaturas podem chegar aos 25 graus negativo se estiverem a transportar produtos congelados, condições que fazem com que os seres humanos “percam a vida rapidamente”, explicou Burnett.

O responsável da RHA afirmou ainda que a viagem da Bulgária para Essex, via Cherbourg, Rosslare, Dublin e Holyhead, demoraria entre “três a cinco dias”.

Boris Johnson chocado

O primeiro-ministro Boris Johnson já afirmou estar “chocado com este trágico incidente”. Johnson disse que está a receber “atualizações regulares e o Ministério do Interior trabalhará em estreita colaboração com a Polícia de Essex”, com o objetivo de estabelecer exatamente o que aconteceu. “Os meus pensamentos estão com todos aqueles que perderam a vida e os seus entes queridos.”

No Parlamento, onde se discute o calendário do Brexit, Johnson abriu a sessão lamentando a “horrível tragédia” de Essex. Pela oposição, Jeremy Corbin, líder dos Trabalhistas, também reagiu. “Esta é uma tragédia humana inacreditável que aconteceu no nosso país neste momento”, disse.

O primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, disse no parlamento em Dublin que existem “relatos de que o camião pode ter passado pela Irlanda”. “Acho que os pensamentos de todos nesta Câmara estão com os que faleceram e as suas famílias. É uma tragédia realmente terrível e faremos as investigações necessárias se for estabelecido que o camião passou pela Irlanda”, acrescentou.

Na Inglaterra, a secretária do Interior, Priti Patel, reagiu e disse que ficou “chocada e triste” com a notícia. Patel é deputada por Witham, que fica em Essex.

Escreveu no Twitter: “Chocada e triste com este incidente absolutamente trágico em Grays. A polícia de Essex deteve um indivíduo e devemos dar espaço para conduzir as suas investigações”.

Depois, no Parlamento, Priti Patel voltou a falar do caso. “Embora as nacionalidades das vítimas ainda não sejam conhecidas, pedi aos meus funcionários que trabalhassem de perto com a investigação para fornecer toda a assistência possível. Isso está no topo do trabalho conjunto que já está a ocorrer entre a polícia, serviços de Fronteira e de Imigração, a Agência Nacional do Crime e outras agências policiais.”

Também a deputada do partido Conservador Jackie Doyle-Price comentou o incidente na mesma rede social, considerando que se trata de “tráfico de pessoas feito por gente vil e perigosa”.

Apesar de ainda decorrer a investigação para apurar quem são as vítimas, há fortes suspeitas que se tratam de imigrantes ilegais que procuravam assim entrar no Reino Unido.

Na Áustria morreram 71 pessoas

Não é a primeira vez que tragédias como esta acontecem envolvendo camiões que transportam migrantes. Um total de 71 migrantes foram encontrados num camião frigorífico abandonado numa estrada na Áustria em agosto de 2015. Oriundos da Síria, Iraque e Afeganistão, os migrantes, quatro dos quais eram crianças, morreram asfixiados no compartimento estanque que os traficantes recusaram abrir. O veículo pesado tinha iniciado viagem na Hungria onde o caso foi julgado. Os quatro homens suspeitos de terem participado no transporte ilegal de pessoas foram condenados a 25 anos de prisão.

As mortes destes 59 homens, oito mulheres e quatro crianças foram o mais grave incidente deste género na rota dos Balcãs, usada por centenas de milhares de pessoas para fugir à pobreza e à guerra no Médio oriente, África e Ásia.

Em Inglaterra, um incidente similar desta gravidade remonta ao ano 2000. Em junho desse ano, os corpos de 58 imigrantes chineses foram encontrados num caminhão em Dover. Um motorista de camião holandês foi preso no ano seguinte por homicídio.