5 hábitos que podem ajudar a rejuvenescer o cérebro

Como diz o ditado: é de pequenino, que se torce o pepino. E é desde cedo, que nos devemos começar a preocupar com a nossa saúde mental e cognitiva. Manter o cérebro ativo e sempre em movimento é fundamental para viver mais e melhor.

Texto DN Life | Fotografias Shutterstock

«O cérebro é o nosso bem mais precioso», considera Vítor Tedim Cruz, secretário da direção da Sociedade Portuguesa do AVC (SPAVC) e neurologista do Hospital Pedro Hispano. O especialista alerta para fatores que afetam negativamente o sistema nervoso central e destroem a saúde mental, como a falta de exercício físico e mental, o álcool, o tabaco e a solidão. Mas há rotinas simples que ajudam no desenvolvimento cerebral. Saiba quais são.

Educar

Segundo Vítor Cruz, devemos «garantir o maior número de anos de escolaridade possível e continuar a ler e a aprender, mesmo depois de uma licenciatura ou doutoramento.» Do ponto de vista do neurologista, a educação e a leitura são os melhores hábitos para o cérebro, uma vez que é através destes dois elementos que o conseguimos estimular e manter uma interação social.

Viver em comunidade

As relações familiares, os hábitos de vida sociais e a partilha nas comunidades onde reside são fatores importantes para evitar o isolamento social e prevenir a depressão e a ansiedade. A saúde cognitiva é essencial para conseguirmos viver em sociedade e obter rendimentos.

Exercício físico

Deixe os ginásios de lado e pratique algum desporto de que goste. De acordo com o neurologista, devemos praticar pelo menos três desportos diferentes, sendo que um deles deve ser feito em equipa. «Atualmente há uma baixa literacia desportiva, porque as pessoas conhecem poucos desportos. Devem quebrar a dependência e escolher um desporto para praticar, em vez de serem acompanhadas por um personal trainer no ginásio.» O exercício físico deve ser praticado desde a adolescência e permanecer ao longo dos anos, para manter o índice de massa corporal na normalidade.

Corrigir

Reveja com o seu médico de família a lista de fatores de risco vasculares, todos os anos. Siga todas as indicações, corrija os riscos e proteja o cérebro de danos, essencialmente depois dos 30 anos.

Proteger

Para zelar pelo bem-estar da saúde cerebral, deixe de lado o álcool, o tabaco e qualquer outro tipo de drogas. Mantenha hábitos saudáveis, como uma alimentação equilibrada e uma higiene de sono.