7 coisas que as mãos lhe dizem sobre a sua saúde

Podem ser pequenas alterações nas palmas, nas unhas, na textura da pele. E até podem nem querer dizer nada de especial, não vale a pena ficar já preocupado. Ainda assim, olhe com atenção para as suas mãos para saber como vai de saúde e, na dúvida, consulte o seu médico.

Texto de Ana Pago | Fotografias da Shutterstock

PROBLEMAS CARDÍACOS

Não é uma relação que faríamos à partida, porém um estudo liderado por Darryl Leong, do Instituto de Pesquisa da Saúde da População da Universidade de McMaster, Canadá, uma fraca força de preensão palmar está associada a um maior risco de ataque cardíaco, AVC ou morte prematura. Após analisar perto de 140 mil adultos entre os 35 e os 70 anos, em 17 países, Leong garante que a medição desta força das mãos seria assim “um teste muito fácil e barato para se avaliar o risco de morte causada por doenças cardiovasculares” – e evitá-la tanto quanto possível.

MAU FUNCIONAMENTO DA TIROIDE

Dedos inchados e mãos frias podem ser mera consequência de um inverno mais rigoroso, mas também indicadores de que a glândula da tiroide não está a produzir hormonas suficientes para o normal funcionamento do organismo (hipotiroidismo), interferindo no peso, ritmo cardíaco, metabolismo, músculos, funcionamento do cérebro, sistema digestivo e regulação da temperatura corporal. Pelo contrário, ter a pele das mãos seca ou avermelhada pode ser sintoma de hipertiroidismo, uma condição pautada pela produção excessiva de hormonas pela tiroide, que resulta numa aceleração do organismo e à fadiga de certos órgãos, entre os quais o coração.

DEFICIÊNCIA DE OXIGÉNIO

Mãos e unhas anormalmente pálidas são logo um dos primeiros sinais que o corpo dá de que o transporte de oxigénio para os tecidos não está a ser feito de forma adequada, pelo que estaremos a braços com uma anemia (resultante de níveis baixos de glóbulos vermelhos saudáveis). Sabendo-se que a causa poderá ser uma carência de vitaminas ou ferro, alterações da medula óssea, uma doença infeciosa ou reumatológica, insuficiência renal ou perturbações da tiroide, o melhor é marcar uma consulta.

HIPERIDROSE

Sim, as palmas das mãos podem estar transpiradas por andar um pouco mais stressado do que é costume. Ou porque esteve a fazer exercício, o que aumenta a temperatura corporal e a necessidade natural de arrefecê-lo através do suor. Contudo, se lhe tem acontecido tê-las tão escorregadias que mal consegue abrir uma porta, é provável que esteja a sofrer de hiperidrose, uma condição de sudorese excessiva, involuntária, que só é interrompida à noite e provoca mal-estar físico e psicológico na medida em que impede quem sofre de cumprimentar os outros, manusear papel, conduzir (as mãos escorregam no volante) e relacionar-se com o mundo sem vergonha. A boa notícia é que existe solução para este problema que afeta 300 mil portugueses.

ECZEMA

Continua com as mãos ásperas, secas e irritadas, por mais creme que lhes ponha? A pele arde, forma bolhas, abre fissuras, chega mesmo a sangrar? É provável que tenha eczema, uma inflamação aguda ou crónica na pele, por vezes bastante dolorosa, que muitos especialistas acreditam resultar de demasiado stress e ansiedade acumulados (ao ponto de o corpo estar a somatizar transtornos emocionais). Neste caso, o maior problema ao nível do diagnóstico é o facto de a pessoa não ter consciência de que o eczema está a ser causado pelos seus próprios sentimentos.

FALTA DE NUTRIENTES E DIABETES

As unhas partiram-se tantas vezes nos últimos tempos que já lhes perdeu a conta? Pois esse é com frequência um indicador de falta de zinco, cálcio, proteína e/ou vitaminas A, C ou B7 (biotina), a avisarem-no de que não estará a fazer uma alimentação tão saudável e diversificada como devia. Alerta ainda para situações recorrentes de unhas amarelas ou esverdeadas: podem não só traduzir uma infeção fúngica como ser um primeiro sintoma de diabetes. E então se lhe aparecerem manchas escuras nas unhas procure imediatamente o seu médico, já que pode ser sinal de melanoma.

DOENÇA DE PARKINSON

É um facto: ansiedade nos píncaros, café a mais e alguns medicamentos que eventualmente esteja a tomar podem ser os responsáveis por andar sempre com as mãos a tremer, não precisa de ficar já preocupado. No entanto, se vir que esses tremores são recorrentes, não se devem a nenhuma das três razões que começámos por referir e lhe fazem lembrar a sensação de estar a rolar um comprimido entre o polegar e a lateral do indicador, podem ser um sinal prévio da doença de Parkinson, razão por que convém despistá-la o quanto antes.