Comida para o cérebro: quatro alimentos que deve comer

O que comemos afeta não só o que vemos no espelho, mas também influencia o bom funcionamento de todo o organismo. Incluindo do cérebro, o órgão que consome mais energia.

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia de iStock

A expressão «alimentar corpo e mente» faz realmente sentido. Há alimentos que podem ajudar a prevenir a demência, o stress o deterioramento cognitivo ou a perda de memória, como explica ao El Pais o nutricionista Ramón de Cangas. «A alimentação tem uma importância vital na performance do nosso organismo e funções biológicas», explica.

Estes são quatro alimentos, com características distintas, que afetam diretamente o seu cérebro.

PEIXES GORDOS

Este tipo de peixes – como o salmão, cavala ou sardinhas – ajuda a retardar o deterioramento cognitivo. Os ácidos gordos são essenciais para o bom funcionamento celular. O nutricionista explica que «o ómega 3, por exemplo, ajuda a proteger o cérebro ao travar os danos cerebrais causados pelo stress oxidativo». Os lípidos são uma componente importante do cérebro e constituem mais de 60% do sue peso. Ainda que os peixes gordos sejam uma das melhores fontes naturais deste tipo de gordura, não são a única. Alguns frutos secos, como nozes ou amêndoas, são outra alternativa a ter em conta na sua dieta.

AZEITE

O azeite, para além de também conter ómega 3, também tem vitamina E, que é especialmente importante para o combate à demência e para o abastecimento de oxigénio no cérebro. Segundo um estudo realizado nos Estados Unidos, as pessoas que consumiam mais de 16 miligramas por dia de vitamina E tinham menos 67% de risco de desenvolver demência, comparando com aqueles que não consumiam nada.

BETERRABA

As células cerebrais usam a glicose como fonte de energia. Mas não comece já a achar que tem de comer colheres de açúcar. Para Rámon de Cangas, «uma dieta equilibrada que inclua legumes, cereais ou frutas vai dar-nos os hidratos que o nosso organismo precisa para buscar a glicose.» A beterraba é um dos exemplos de alimentos – juntamente com o kiwi, alguns cereais ou cebolas – que servem de combustível para o nosso cérebro. Contém a glicose que este órgão necessita e também são ricos em fibra, que mantém saudável a microbiota, ajudando a prevenir futuros danos cognitivos.

FRUTOS VERMELHOS

As bagas e frutos vermelhos ajudam a melhorar a capacidade de atenção e a memória. As frutas e verduras são as melhores fontes naturais de vitaminas e minerais. Por exemplo, também as verduras de folha verde e os brócolos são uma fonte importante de vitamina K. Esta pode ajudar as pessoas com Alzheimer a reter melhor a informação e a progredir na expressão verbal.