Acabaram as desculpas para não treinar

Um estudo do Eurobarómetro, divulgado este ano, revela que os portugueses são dos que fazem menos exercício físico. Só 26 por cento o faz com alguma regularidade. Mas já nem os custos ou a falta de tempo são desculpa.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia iStock

Hoje, são várias as aplicações para smartphone que ajudam a treinar sem consultar um personal trainer ou ter que se deslocar ao ginásio. E, com a vida sedentária que a maioria dos portugueses têm, o exercício físico devia ser obrigatório.

Para Rita Terruta, personal trainer e responsável pela FHIT UNIT – empresa de treino funcional -, nada é melhor do que o treino monitorizado por um especialista, mas reconhece as virtudes das apps de treino.

«Tudo depende do tipo de aplicações, mas para quem tem pouco tempo para treinar e quer aumentar a frequência cardíaca, é uma solução», diz, aconselhando a que os exercícios sejam repetidos diariamente. «No caso de se tratar de um treino específico, intervalar com descanso».

Existem várias aplicações para iPhones e Android para treinar diariamente. A Seven ou a Desafio 30 Dias são exemplo disso

Terruta, que faz treinos outdoor e ao domicílio, diz que esta é uma tendência cada vez maior visto que «não há perda de tempo com deslocações» e é ideal para quem não gosta de ginásios, mas chama a atenção para algumas desvantagens: «não há um planeamento específico, a intensidade não é calculada para a pessoa em causa e a correção técnica não é aplicada nestas situações».

Atualmente, existem várias aplicações para treinar diariamente (como a Seven ou a Desafio 30 Dias) – e que podem ser descarregadas gratuitamente nos smartphones – com exercícios como prancha, abdominais ou agachamentos. A personal trainer considera que estes podem ser vistos como treinos complementares para os dias em que não conseguiu (ou não quis) ir ao ginásio.


Veja também:

Desafio para durões: treinar na praia