Afinal, o tamanho conta

Pesquisa relaciona homens de pénis pequenos com uma menor probabilidade de terem filhos.

Texto de Ana Pago

A descoberta é de um grupo de investigadores da Universidade de Utah, EUA: homens com pénis de 13,4 centímetros de comprimento médio (em ereção, para que não restem dúvidas) são mais férteis do que aqueles cujo membro não vai além dos 12,5 centímetros.

Os autores supõem que fatores genéticos ou congénitos como a síndrome da disgenesia testicular possam estar na origem do problema

«Pode não parecer grande diferença, mas é um valor significativo a nível estatístico», afirma o médico urologista Austen Slade, líder deste estudo inédito que, pela primeira vez, identificou a relação entre um menor comprimento peniano e a (in)fertilidade masculina ao analisar 815 homens, entre 2014 e 2017, numa clínica de infertilidade onde se tratavam de disfunção erétil, dores nos testículos e dificuldades de fertilização.

Os autores supõem que fatores genéticos ou congénitos como a síndrome da disgenesia testicular possam estar na origem do problema, mas admitem ter ainda de realizar muitos outros testes antes de uma conclusão final. Até porque há homens com membros abaixo da média com uma fertilidade normal, aponta Slade.