Afinal, o tamanho (e a altura) conta

– Sabes quem encontrei no supermercado? O Miguel.
– Qual Miguel?
– O único que te interessa. O único a quem te referes apenas como «o Miguel».
– «O Miguel?!» Assim, a fazer aspas com os dedinhos no ar? Eu não faço isso. Mas já per­cebi que estás a falar do Miguel Almeida.
– Vês como sabes quem é?
– E está bom? Não o vejo há que tempos.
– Ele lembra-se da última vez que te viu. No aniversário da Joana.
– Pois foi. Em outubro.
– Olha, tu também te lembras.
– Lembro-me porque sei que a Joana faz anos em outubro. E tu também estavas lá. Não me lembro por ter sido a última vez que vi o Miguel.
– Não precisas de justificar.
– Eu não estou a justificar nada. Tu é que pa­rece que queres conversa. Ficaste incomo­dado por o encontrares, foi?
– Eu? Era o que faltava. Ele é que tem razão para ficar incomodado. Eu é que lhe saquei a namorada.
– Tu não sacaste nada. Mas eu sou alguma mercadoria? Deixei de namorar com o Mi­guel e uns tempos depois comecei a namo­rar contigo. Uma coisa não tem nada que ver com a outra.
– Ele não pensa assim.
– Azar o dele. Estou-me nas tintas para o que ele pensa ou deixa de pensar. pelos vistos pensas co­mo ele. E estás errado.
– Vai lá dizer isso ao teu ami­go Miguel Almeida. O rapaz ficou a sofrer.
– Para já, «o rapaz» é mais ve­lho do que tu. Depois, o rapaz já está noutra. Ele nun­ca esteve muito tem­po sozinho. Já tem uma namorada. E vivem juntos.
– Estás muito bem informada.
– Foi a Joana que me disse.
– Tem uma namorada, tem. Estava com ele hoje. É gira.
– Ainda bem para ele. Ele sempre gostou de miúdas giras. Tu devias saber, já que sacaste a mercadoria…  Então e esta, tem mais de 18 anos? Há tempos andou enrolado com uma universitária.
– Eu não digo? Para quem se está nas tin­tas, sabes muita coisa. Não, esta não é nova. Devem ter a mesma idade, mais ou menos. A mesma idade e a mesma altura. É bem alta.
– Sim, ele também é grande.
– Não é mais alto do que eu.
– É um bocado.
– Não sei se é.
– Sei eu. Essa coisa de os homens compara­rem alturas com os ex-namorados e ex-ma­ridos é tão idiota. Como não podem compa­rar pilinhas, fazem questão de ser mais altos do que os ex. Que palermice.
– Sim, vocês não fazem isso.
– Pois não. Julgas que eu estou ralada por o Miguel ter uma namorada alta? Eu que­ro é que ele seja muito feliz. E que não me chateie.
– Sim, ele parece feliz, com a namorada alta e de mamas grandes. E magra.
– É magra?
– Bem magrinha.
– Escanzelada.
– Não. Bem elegante. Com tudo no sítio.
– Não quero saber! Estiveste a reparar, foi?
– Eu e os homens todos que passavam.
– Então olha, ainda bem que eu não fui contigo. Para não passares ver­gonhas.
– Eu adorava que estivesses comigo.
– Para me poderes mostrar?
– Ele pode ter a gaja boa, mas eu é que fiquei con­tigo.
– Acabou a conversa.

Publicado originalmente na edição de 15 de junho de 2014