Não quer ter um ataque cardíaco? Há dez hábitos que tem que perder

Continua a ser a principal causa de morte em Portugal. Em 2017, os números apontavam para 35 mil mortes por ano por doenças cardiovasculares. Saiba o que pode estar a fazer de errado no seu dia-a-dia.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia ShutterStock

O tabagismo, a alimentação indevida, a falta de exercício físico e o abuso do álcool são os quatro principais fatores de risco das doenças cardiovasculares. No entanto, existem muitos outros hábitos que podem influenciar este tipo de problemas.

Veja na fotogaleria abaixo como pode estar a prejudicar o seu coração.

Não dormir

O sono é uma das armas mais importantes para se manter saudável. Vários estudos indicam que quem não dorme as horas suficientes (entre sete a oito em idade adulta) tem maior risco de ter diabetes, hipertensão e obesidade

Não comer vegetais

Há uma série de alimentos que são benéficos para o coração. Ter uma dieta equilibrada é fundamental para este órgão. A variedade de vegetais e a fruta previnem o risco de doenças cardiovasculares.

Praticar exercícios de alta intensidade

Se não pratica exercício físico regularmente e decide que pode ser divertido ir jogar futebol com os amigos saiba que pode estar a prejudicar o seu coração. É importante fazer atividade física regular e evitar picos de alta intensidade pontuais. Exercitar o corpo durante 30 a 60 minutos por dia pode trazer vários benefícios para a sua saúde física e mental.

Beber demasiado

O ideal será a ingestão de dois copos de vinho (ou cerveja) no caso dos homens, por dia, e um no caso das mulheres, de acordo com a Associação Americana do Coração. Mais que isso poderá significar tensão alta, obesidade, entre outros problemas.

Trabalhar demasiado

É importante estabelecer limites no trabalho, saber gerir o stress e fazer algumas atividades de que realmente goste. «É impossível prever ou evitar algumas das situações que nos causam ansiedade. Aprenda a relaxar progressivamente os músculos e a mente: ao fazê-lo, a frequência cardíaca e a pressão arterial diminuem imediatamente», pode ler-se no site da Fundação Portuguesa de Cardiologia.

Descansar demasiado

Por outro lado, é importante que não se foque só em descansar e relaxar, tornando-se sedentário. Tempo de inatividade em demasia pode levar a depressão e a excessos. Mantenha o corpo e a mente ativos.

Fumar

As doenças cardiovasculares são duas a quatro vezes mais frequentes nos fumadores, de acordo com a Fundação Portuguesa de Cardiologia. Além disso, segundo a Organização Mundial de Saúde, o vício do tabaco, na Europa, é responsável por um milhão e 200 mil mortes anuais.

Excesso de sal

Outro dos grandes problemas está relacionado com o excesso de sal na comida. Os portugueses consomem, em média, o dobro do sal recomendado pela Organização Mundial de Saúde (até 5 gramas por dia).

Excesso de açúcar

Além de dificultar a manutenção ou perda de peso, o excesso de açúcar na sua dieta pode originar problemas de diabetes.

Ignorar os sinais de alarme

Existem alguns sinais relacionados com as doenças cardiovasculares a que deve estar especialmente atento para conseguir agir atempadamente. A Fundação Portuguesa de Cardiologia enumera alguns: desconforto no peito e na parte superior do corpo (braços, pescoço e estômago), sensação de falta de ar, náuseas, vómitos e suores frios.


Veja também:

Dia Mundial do Coração: Histórias de quem sobreviveu