É o primeiro dia do seu bebé na praia? Fique com estas oito dicas

Há bebés que choram na sua primeira ida à praia. Bebés que riem dentro de água. Bebés que rebolam e comem areia. Aos pais cabe a missão espinhosa de avaliarem o que melhor resulta para os seus pequenos, porém estes conselhos preciosos podem ajudar.

Texto de Ana Pago | Fotografias da Shutterstock

PRAIA CANSA

Se para nós é uma estafa, a eles deixa-os praticamente à beira da exaustão. E quanto mais pequenos, pior, pelo que convém estar atento aos sinais de cansaço que o seu bebé for dando e ajustar a permanência na praia em função disso. É melhor ir embora mais cedo do que querer prolongar a experiência a qualquer preço e acabarem todos embirrentos.

NÃO FORCE

Até pode ter crianças na família que choravam ao pôr os pés na areia, se deliciavam com as ondas ou apenas toleravam estar nas poças – não compare o seu filho com nenhuma. Cada bebé é único, tem a sua própria sensibilidade e ritmos singulares, então há que respeitá-lo sem forçar. É suposto estas idas à praia serem mágicas e ele só precisa de se sentir seguro para explorar etapa a etapa.

ATENÇÃO AO SOL

É um aviso recorrente dos dermatologistas todos os verões, sem exceção de idades, mas a verdade é que com crianças pequenas não dá mesmo para facilitar: é enchê-los de protetor solar de duas em duas horas (exceto se tiverem menos de seis meses), pô-los na sombra de óculos e chapéu na cabeça, vestir-lhes roupa protetora, dar-lhes muitos líquidos e, claro, não os ter na praia nas horas de maior calor. O que nos leva já ao ponto seguinte.

TURNOS ALTERNATIVOS

Aproveitar a praia é bom e recomenda-se, o que não significa passar o dia inteiro a torrar como provavelmente fazia em solteiro, com a pele a querer soltar-se do corpo de tanto calor. O ideal – obrigatório tendo bebés – é fazer dois turnos, o primeiro dos quais até às 11h00 e um segundo a começar pelas 17h00. O facto de ter tempo para uma sesta ali pelo meio só faz bem a todos.

SEMPRE VIGILANTE

Quem tem bebés sabe que mil olhos não chegam para ver tudo o que fazem, em especial num ambiente novo com multidões, mar, ondas e correntes, detritos na areia e uma infinidade de riscos de deixar os pais com os cabelos em pé, nomeadamente quando os filhos já gatinham ou começaram a dar os primeiros passos. Deixe-os experimentar, mas nunca (mesmo nunca) os perca de vista nem por um segundo.

RESPEITE AS ROTINAS

Imprevistos são parte da vida e não vem mal ao mundo se não fizer tudo pela mesma ordem todos os dias, sobretudo em férias. Contudo, convém lembrar que os bebés precisam das suas rotinas de sono, comida e sestas intermédias, sem as quais tendem a ficar rabugentos. E que sentirem esta normalidade torna-se ainda mais importante quando a praia, por si só, já configura uma alteração significativa aos ritmos a que estão acostumados.

TEMPERATURA IDEAL

Da mesma forma que dias mais frescos podem pedir um agasalho, dias de grande calor na praia exigem cuidados suplementares com o seu bebé, a saber: muita água para o manter hidratado (exceto se ainda estiver a ser amamentado em exclusivo) e para lhe passar no corpo após os banhos de mar; uma tenda que proteja contra os raios nocivos do sol; uma piscina insuflável para refrescar; roupas leves. E aqui, de novo, muita atenção ao relógio.

SIMPLIFIQUE

É o sonho de todos os pais – e possível, apesar de ser sempre necessário levar uma série de itens para onde quer que vá, inclusive a praia. O truque é arranjar um saco generoso e tê-lo sempre pronto com algumas fraldas descartáveis, uma de pano para proteger do sol, água, dois boiões de fruta (dão para desenrascar e não precisam de frio), pomada, toalhitas, chapéu, dois bodies e algo mais que possa fazer falta, mas sem exagerar. Afinal, é só uma ida à praia, não ao fim do mundo.