Chefs de palmo e meio dão cartas na cozinha

O passatempo Brincar na Cozinha com Teka regressa e as inscrições já abriram. Basta juntar a família, confecionar um prato e eternizar o momento. Conheça os vencedores das edições anteriores.

Texto de Marisa Silva

Os ingredientes ainda estão na ponta da língua. Para o bolo arco-íris, dividido em três camadas, os irmãos Maria, Francisco e Clara usaram kiwi, ananás e morangos. Há dois anos, a receita dos Simões conquistou o júri da primeira edição do concurso Brincar na Cozinha com Teka. Em 2018-19, a vitória coube à dourada com batata-doce e legumes, uma especialidade da família Amaral.

Na hora de confecionar as refeições, os pequenos chefs não têm receio de meter as mãos na massa. Fazem de tudo um pouco: descascar fruta, cortar legumes, lavar e temperar a salada. Mantê-los fora da cozinha é missão quase impossível. Que o diga Rita Simões, mãe de Maria, Francisco e Clara: “Cozinhar não é um castigo. É muito bom para a educação deles e para perceberem que as coisas não caem do céu. É um dos alicerces para se tornarem adultos melhores”.

O Brincar na Cozinha com Teka está de regresso e as inscrições já arrancaram. Quem se quiser candidatar só precisa de juntar a família, escolher uma receita e filmar ou fotografar as principais etapas da confeção. Depois, é seguir o regulamento: aceder ao site até 30 de novembro, carregar as fotografias ou o vídeo e aguardar pelos resultados da votação online.

Nos respetivos formulários de candidatura, tanto a família Amaral como a Simões submeteram um vídeo caseiro. Criatividade, entreajuda e espontaneidade foram alguns dos ingredientes imateriais que lhes garantiram um lugar na final.

“Inicialmente, a ideia era retratar a história de um salmão que queria ser frango. Mas como moro no Porto e a minha irmã em Lisboa, o encontro não se proporcionava. Quando o nosso pai faleceu, encontrámo-nos em S. Pedro do Sul e, nesse dia, gravámos o vídeo. Como não havia salmão, simplificámos e fizemos dourada”, recorda Rita Amaral Carvalhas.

Separados por 300 quilómetros, o Brincar na Cozinha com Teka permitiu aos Amaral estarem juntos “mais três ou quatro vezes” do que o previsto. Maria Tomé, a sobrinha de Rita Amaral Carvalhas, tem dez anos. Na memória guarda o momento da vitória. “Enquanto estava à espera dos resultados, contei à mãe [Vanessa Amaral da Costa] que tinha visto um cartaz com o nosso nome. Não quis acreditar.”

Terminado o passatempo, as famílias continuaram a reunir-se à volta da bancada. E há aprendizagens que ficaram para a vida: “Para cortar o papel vegetal costumávamos colocar uma forma por cima e circundar com o lápis. Mas a chef Joana Byscaia ensinou-nos uma técnica muito mais rápida”, revela Rita Simões.

Além da cozinha, a família partilha o gosto pelos animais. E até arranjou uma forma de relacionar os dois mundos. “Temos uma tartaruga chamada Juliana e um gato, que é o Branquinho”, diz Maria Simões. “Juliana é por causa da sopa”, justifica a mãe.

Viajar em família

Cozinhar em equipa deu prémios aos vencedores. A família Simões recebeu um vale da Teka para gastar em eletrodomésticos e cinco dias num dos hotéis Vila Galé. O Porto foi o destino escolhido. Subiram à Torre dos Clérigos, visitaram a Livraria Lello e passearam junto às margens do Douro. Compraram ainda um forno, uma placa e uma máquina de secar roupa. “Como a placa não tem a chama, eles acabam por cozinhar ainda mais. Não há tanto perigo como com o fogão a gás”, salienta Rita Simões.

Premiada com eletrodomésticos e uma viagem, a família Amaral ainda não usufruiu do passeio. Falta reunir consenso quanto ao destino. Uns querem o Brasil, outros os Açores. Para já, no calendário, estão reservadas duas datas: a Páscoa, em abril, e o dia do Trabalhador, a 1 de maio.