A chuva e o frio voltaram. Como enfrentá-los, em 13 pontos

Mesmo quando andamos a resmungar pelos cantos contra o calor, a verdade é que, quando o frio e a chuva voltam, não estamos preparados para os enfrentar. De que forma devemos proteger-nos? Tiramos já a roupa toda de inverno dos baús? E o que podemos mudar na alimentação? Estas e outras questões vão ajudá-lo a proteger-se dos dias mais rigorosos.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia ShutterStock

Depois da tempestade «Leslie», o frio e a chuva parecem permanecer em Portugal. É nesta altura do ano (nos próximos meses, leia-se), que doenças como a gripe e outras infeções respiratórias se manifestam mais.

De acordo com a Direção-Geral de Saúde, há uma mudança no comportamento social (como a tendência para a concentração de pessoas em locais fechados) e maior prevalência de casos de intoxicações por monóxido de carbono devido ao uso incorreto ou mau funcionamento de lareiras ou de outros sistemas de aquecimento.

Além disso, existem ainda os chamados «grupos de risco», constituídos por pessoas mais vulneráveis aos efeitos do frio intenso, que devem ter uma atenção especial. Crianças nos primeiros anos de vida, pessoas com 65 ou mais anos, bem como pessoas com mobilidade reduzida ou portadoras de doenças crónicas são algumas das que exigem maior preocupação.

Pessoas que consomem álcool em excesso, drogas ilícitas ou que estão isoladas ou vivem em carência social também requerem mais atenção, de acordo com a DGS.

Imagem da Direção-Geral de Saúde alusiva aos grupos de risco

A mesma instituição enumera várias medidas preventivas para se proteger da melhor forma do frio e evitar a transmissão e aparecimento de doenças. Estas recomendações (que pode ver na fotogaleria em cima) estão associadas às habitações, vestuário, exercício físico ou alimentação.


Veja também:

7 alimentos que combatem as inflamações