Cigarros eletrónicos de Viagra? Médicos querem proibir

A guerra está instalada nos EUA, onde uma empresa de cigarros eletrónicos acrescentou à sua oferta um líquido contendo sildenafil e taladafil, princípios ativos do Viagra e do Cialis, os fármacos mais usados no mundo para a disfunção erétil. A FDA (Food and Drug Administration) quer retirá-los do mercado.
Texto DN LIFE Fotografia I-Stock

Há vinte anos, o comprimido azul foi uma revolução. Científica e sexual. A disfunção erétil passou a ter solução e, embora o fármaco milagroso requeira, como todos, cuidados e efeitos secundários, fez muitos homens (e mulheres) mais felizes.

Agora, uma empresa de cigarros eletrónicos norte-americana desenvolveu um líquido de vapear com os princípios ativos dos dois medicamentos mais usados para a disfunção erétil e está a comercializá-los publicitando essa «mais-valia».

A FDA não aprova e já se manifestou. «Vapear princípios ativos de medicamentos é uma forma errada de toma dos mesmos e pode ser perigosa. Nenhum dos líquidos [para cigarros eletrónicos] que contém fármacos foram aprovados como seguros ou eficazes através desta forma de administração», disse a FDA, em comunicado, citado pela Esquire.

Embora admita as vantagens dos cigarros eletrónicos para os fumadores que querem deixar o tabaco convencional, a FDA está empenhada em impedir que isso «seja feito à custa de viciar toda uma nova geração em nicotina»

O organismo que tutela e fiscaliza a área do medicamento nos EUA chama ainda a atenção para o facto de estas substâncias poderem interagir negativamente com outros medicamentos, nomeadamente para a tensão arterial ou doenças cardíacas, o que constitui obviamente um risco.

Os cigarros eletrónicos e outros substitutos do tabaco têm sido postos em causa como alternativa saudável. Além de terem consequências prejudiciais à saúde, já demonstradas por diversos estudos científicos, criam uma ideia de falsa segurança, que está a atrair os mais jovens.

Embora admita as vantagens dos cigarros eletrónicos para os fumadores que querem deixar o tabaco convencional, a FDA está empenhada em impedir que isso «seja feito à custa de viciar toda uma nova geração em nicotina», disse Scott Gottlieb, da FDA, a este propósito.

Está a ver aquela mensagem nos maços de tabaco que diz qualquer coisa como: «fumar provoca impotência»? Os eletrónicos, pelos vistos, querem fazer precisamente o contrário. Mas pode correr mal, porque a prescrição deste tipo de medicamentos deve ser feita por um médico. Tenha cuidado com o que vapeia, pela sua saúde.

Leia também:

A mentira dos cigarros eletrónicos