Cinco maneiras fáceis de irritar a outra pessoa

1
– Gostavas de ter filhos?
– Hmmm… Não penso nisso agora.
– Não pensas agora? Mas pensas?
– Não está nos meus horizontes mais próximos.
– Mas gostavas de ter filhos ou não?
– Acho que sim, mas só daqui a uns dez anos. Mais ou menos.
– Dez anos? Nessa altura em vou ter quase 40.
– Mas não falaste em ter filhos contigo…

2
– Podes dar-me um jeitinho nestas calças?!
– Um jeitinho? O que é que precisas?
– É só aqui. E aqui. Uma coisa de nada.
– Mas é só aqui o quê? O que é que tu queres?
– Aqui assim. Só um calorzinho.
– Mas qual calorzinho?
– É para passar a ferro. Uma coisa rápida.
– Sabes perfeitamente que eu detesto passar a ferro. Porque é que estás a pedir-me isso?
– Porque eu não sei.
– Eu também não.
– Oh. Tu és mulher. Deves saber melhor do que eu.

3
– Estás chateada?
– Não.
– Estás. Já te conheço.
– Pensas tu.
– O que é que aconteceu?
– Nada.
– Fiz alguma coisa? Estás chateada comigo.
– Não. Não fizeste nada.
– O problema é esse? Não ter feito nada? Espera. A que dia do mês estamos hoje?
– Dia do mês? Porquê?
– Está quase a aparecer-te o período, não está?

4
– O que é que estás aí a fazer?
– Estou a abrir a porta.
– Mas estás a ser simpático e a abrir-me a porta para eu entrar?
– Não. Eu ia conduzir. Posso?
– Não. Não podes. O carro é meu.
– Não posso conduzir o teu carro? Só porque é teu?
– Esse «só» está a mais. Podes conduzir, mas tens de me pedir.
– Mas queres que eu vá ao teu lado agora?
– Se quiseres podes ir atrás. Ou na bagageira. Mas eu prefiro que vás ao meu lado. No banco do passageiro.
– Não gosto de ir ao lado. Não estou habituado.
– Como é que fazes quando andas no carro de outras pessoas.
– Isso é diferente. Este é o carro da minha namorada.

5
– Afinal no domingo vou trabalhar de manhã. Não posso ir almoçar.
– A sério? Tinhas dito que estavas de folga.
– Fiz uma troca. Estava a dever a um colega.
– Mas a minha mãe já encomendou o cabrito. Ela leva aquilo muito a sério.
– Eu percebo, é chato. Mas o que queres que eu faça? É trabalho.
– Tinhas de fazer essa troca no domingo?
– Não deu para evitar.
– E se mudarmos para sábado?
– Sábado… vou ajudar a minha irmã nas mudanças.
– Sábado ao jantar.
– As mudanças vão acabar tarde.
– E domingo ao jantar?
– É a última edição do Peso Pesado.
– Isso já acabou.
– Mas gostei tanto que vou puxar para trás para ver outra vez.
– Não queres ir jantar à minha mãe, pois não?

[Publicado originalmente na edição de 10 de janeiro de 2016]