Como tratar a pele depois dos excessos do verão?

Depois de vários dias a expor-se ao sol e de cometer alguns excessos, chega a altura de repor os níveis de hidratação da pele. A Life falou com o dermatologista Paulo Jorge Ferreira para saber tudo o que deve fazer.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia iStock

Passado o período de férias, o regresso às rotinas envolve também uma preocupação adicional com os níveis de hidratação da pele muitas vezes esquecidos à beira-mar ou na piscina. O excesso de exposição é prejudicial à pele e são necessários alguns cuidados quando acaba este período.

Em entrevista à DN Life, o dermatologista Paulo Jorge Ferreira explica que sendo o verão uma altura propícia e estimulante para apanhar sol, isso é benéfico porque esta é uma forma de o corpo produzir a necessária vitamina D. O que prejudica, esclarece, é a «exposição solar em excesso».

A exposição em excesso pode provocar o envelhecimento e enrugamento da pele. Nos casos mais graves pode levar ao aparecimento de um melanoma

«Esta exposição deve ser feita com bom senso e respeitando as normas». Por normas, entenda-se, Paulo Ferreira evoca os horários recomendados (evitar estar ao sol entre as 12 e as 16h). Os maus comportamentos associados à exposição solar podem levar a «fotoalergias agudas ou queimaduras», sendo que nos casos mais graves pode resultar em melanoma [a forma mais grave de cancro de pele].

A exposição inadequada pode manifestar-se de várias formas, sendo as mais comuns o enrugar da pele e o envelhecimento da mesma, bem como a hiper ou hipo pigmentação. «A pele perde firmeza e elasticidade, fica com texturas e podem até surgir algumas manchas», frisou o especialista, alertando para que «a longo prazo o diagnóstico pode ser muito pior. Podem surgir melanomas ou tumores».

O estudo Skin Cancer Index 2018 indica que existirão mundialmente 150 mil casos de melanoma. Em Portugal, surgem anualmente cerca de 700.

«O melanoma é responsável por 80 por cento das mortes por cancro cutâneo, mas é também uma doença que se vê e que se pode tratar a tempo», pode ler-se no site do Hospital de Lusíadas. Acrescentando: «este tipo de cancro está associado à exposição solar aguda e intermitente e a antecedentes de queimaduras solares na infância, bem como a fatores genéticos».

O estudo Skin Cancer Index 2018 indica que existirão mundialmente 150 mil casos de melanoma. Em Portugal, surgem anualmente cerca de 700.

Como forma de sobreaviso, Paulo Jorge Ferreira, coordenador da Unidade da Psoríase do Centro de Dermatologia do Hospital CUF Descobertas, reforça os cuidados a ter no verão: «todos os dias deve hidratar-se a pele, colocar protetor solar e usar vestuário adequado».

Dormir bem e ter um estilo de vida saudável são essenciais para repor os níveis de hidratação da sua pele

Para uma hidratação correta, o dermatologista enumera alguns dos hábitos que deve ter: «é importante inserir a fruta na sua dieta e beber muita água. É também relevante cortar no tabaco e nas bebidas alcoólicas».

Segundo o especialista, dormir bem e ter um estilo de vida saudável, que inclua a ingestão de fibras e antioxidantes, são fatores também essenciais para repor os níveis de hidratação da sua pele. Além do creme pós-solar.

No entanto, «pessoas com antecedentes devem consultar um dermatologista após as suas férias, de forma a perceberem se as suas manchas estão, ou não, normais, frisou ainda o médico.

Veja na fotogaleria em cima tudo o que deve fazer para hidratar bem a sua pele.


Veja também:

Hidratação: o verão exige cuidados especiais