«Os meus filhos continuam a não acordar à noite sozinhos para ir à casa de banho»

Temos consultório aberto 24 horas por dia, todos os dias, pelo e-mail consultorio@dnlife.pt. Envie as suas dúvidas sobre saúde e bem-estar, físico e mental. Nós respondemos, com a ajuda de médicos e especialistas.

O pediatra Lino Rosado responde a uma questão relacionada com as dificuldades de dois filhos em ir à casa de banho durante a noite.

«Somos pais adotivos de dois irmãos, de 10 e 6 anos, que continuam a não conseguir acordar à noite sozinhos para ir à casa de banho. Já foram feitos exames e não foi detetado problema físico. Foi dado acompanhamento psicológico, mas não foi indicado que seria essa a origem do problema. Pelo historial, suspeitamos de que poderá ter origem genética. Gostaríamos de saber o que fazer para os ajudar.»

Estando os exames efetuados normais e havendo um histórico familiar, pode tratar-se de enurese monossintomática. Deve-se a um sistema urinário ainda imaturo, padrões de sono ainda não consolidados e poliúria noturna (diminuição da hormona antidiurética).

O tratamento consiste em medidas educacionais, como fazer exercícios para controlo da bexiga: quando eles sentirem necessidade de urinar peçam-lhes para reter a urina durante alguns minutos para fortalecimento da musculatura pélvica.

Devem também aumentar a ingestão de líquidos durante o dia e reduzi-los duas horas antes de dormir. Podem também fazer um calendário de noites secas e molhadas, mas nunca devem castigar as crianças.

O castigo não ajuda, uma vez que molhar a cama já é suficientemente punitivo. Podem, no entanto, recompensá-las nas noites secas. A utilização de alarmes – sensores sonoros ou vibratórios de líquidos que se fixam às roupas e que acordam a criança quando começa a urinar – nas crianças mais velhas não tem efeitos adversos e resulta em alguns casos.

Deve ser utilizado com o acordo da criança. Pode ser tentada também a desmopressina (medicamento antidiurético que reduz a produção de urina), sob orientação do pediatra.