Europa alerta para níveis crescentes de obesidade. E o peso de Portugal, qual é?

Relatório de Saúde da Organização Mundial da Saúde indica que as taxas de excesso de peso e obesidade têm aumentado na maioria dos países europeus. Reino Unido, Turquia e Malta são os casos mais graves, mas, afinal, em que estado se encontra Portugal?

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia iStock

Um novo estudo da Organização Mundial de Saúde indica que mais de metade da população tem peso a mais e que «as tendências para o excesso de peso e a obesidade em adultos estão em curva ascendente na maior parte da Europa».

De acordo com esta investigação, é nos homens que se verifica mais excesso de peso, e é entre as mulheres que existem mais casos de obesidade.

Malta, Turquia e Reino Unido são os países que apresentam números mais preocupantes. Claudia Stein, diretora do Departamento de Informação, Pesquisa e Inovação da OMS na Europa, disse em declarações aos jornalistas, que são necessárias medidas governativas para travar esta tendência.

Responsável da OMS, Claudia Stein, é a favor de aumento de impostos e alterações na legislação para combater excesso de peso e obesidade nos países europeus.

«Os impostos e legislação existem para regular», afirmou Stein, explicando que os impostos sobre produtos com demasiadas calorias podem ter efeitos positivos. E exemplifica: «o imposto sobre o açúcar tem impacto sobre o peso e a saúde dentária».

O Relatório de Saúde Europeu da Organização Mundial da Saúde, publicado a cada três anos, abrangendo 53 países e 800 milhões de pessoas, indica que em Portugal a prevalência de excesso de peso é superior a 57 por cento – número próximo da média europeia (58,7 por cento).

Um relatório do Serviço Nacional de Saúde, publicado este ano, indica que 5,9 milhões de portugueses têm excesso de peso.

Estes são números alarmantes, especialmente no que às crianças diz respeito. Segundo um estudo Childhood Obesity Surveillance Initiative realizado em 2016, as percentagens de excesso de peso situavam-se acima dos 30 por cento (30,7%) em Portugal, enquanto a obesidade infantil apontava para os 11,7 por cento.

«A obesidade é o resultado de insuficientes níveis de atividade física combinados com uma alimentação inadequada, caracterizada por um consumo excessivo de calorias, em grande parte provenientes de açúcar e gordura», pode ler-se no documento Retrato da Saúde 2018.

O último inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física, desenvolvido entre outubro de 2015 e setembro de 2016 com uma amostra de 6.553 cidadãos entre os três meses e 84 anos, indica que 17 por cento da população portuguesa ingere pelo menos um refrigerante ou néctar por dia e um em cada dois portugueses não ingere a quantidade de produtos hortícolas ou de fruta recomendada pela Organização Mundial de Saúde.

Em relação à atividade física os números também não são benéficos. «Portugal é o segundo país de Europa que menos caminha – 29% nunca caminham mais de 10 minutos por dia – e o país onde mais pessoas afirmam que não têm interesse ou motivação para praticar atividade física ou desporto (33%)», pode ler-se no documento do governo.

A obesidade infantil é uma das preocupações a nível nacional. Estudo do Observatório Europeu indica que mais de 30 por cento das crianças em Portugal estão obesas.

De acordo com um estudo do Observatório Europeu para a Obesidade das Crianças, publicado em maio do presente ano, são os países do sul da Europa que têm as taxas mais elevadas de obesidade infantil. França, Noruega, Irlanda, Letónia e Dinamarca apresentaram taxas entre os 5 e os 9 por cento de obesidade infantil. Portugal, ainda que em redução (de 37,9% para 30,7%), é dos países com taxas mais elevadas.

A Fundação Portuguesa de Cardiologia indica, através do site, que os números da obesidade e excesso de peso em Portugal são preocupantes, tendo em conta os riscos que advém deste problema, como a hipertensão arterial, a dislipidemia ou diabetes tipo II.

Neste sentido, a Fundação algumas medidas para prevenir e combater a obesidade. Veja quais são na fotogaleria em cima.


Veja também:

Faz dieta e não consegue perder peso? Está a cometer um destes erros