«Duplo queixo» e abdómen: excesso de gordura é a principal preocupação estética dos portugueses

De acordo com um estudo realizado pela Allergan, as 85 por cento dos portugueses inquiridos diz-se preocupado com o excesso de gordura. A maioria dos homens e mulheres envolvidas no estudo mostraram-se disponíveis para realizar um tratamento não-cirúrgico nos próximos dois anos.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia ShutterStock

Abdómen, flancos e peito masculino lideram a tabela de preocupações estéticas dos portugueses. A conclusão é de um estudo da Allergan, realizado em Portugal, que mostra que o excesso de gordura é a principal inquietação dos inquiridos (85 por cento).

O interior e exterior das coxas (30 e 33 por cento, respetivamente), o «duplo queixo» (27 por cento), os braços (26 por cento) e os «papos de soutien» (25 por cento) são as principais queixas das mulheres.

21 por cento das mulheres confessa que não comparece em eventos sociais devido à sua aparência

Para resolver estes problemas, homens e mulheres dizem-se disponíveis para realizar um tratamento cirúrgico nos próximos dois anos. Quer isto dizer que os portugueses mostram-se interessados em eliminar a gordura corporal sem que sejam sujeitos a cortes ou incisões.

No mesmo relatório, a Allergan concluiu que 21 por cento das mulheres confessa que não comparece em eventos sociais devido à sua aparência, sendo que quase metade dos envolvidos no estudo considera importante parecer bem nas fotografias (50 por cento) e redes sociais (44 por cento).

No caso dos homens, as preocupações vão além do excesso de gordura. Estes apoquentam-se também, com os pelos corporais (36 por cento), cabelo fino (35 por cento), olheiras (33 por cento), manchas na pele (26 por cento) ou rugas (23 por cento).

Preocupações semelhantes no público feminino, que elege os pelos indesejáveis, a flacidez e as olheiras como as principais inquietações, além da gordura e celulite.


Veja também:

Os homens emagrecem mais rápido que as mulheres. Porquê?


 

Tratamento não-cirúrgico

De acordo com a Allergan, a empresa utiliza um tratamento que consiste na «refrigeração controlada para detetar e destruir apenas as células adiposas, de forma permanente». A tecnologia, denominada de CoolSculpting, já foi aprovada pela Food and Drug Administration, organização norte-americana que faz o controlo dos alimentos e dos medicamentos e tratamentos médicos.

«Após o tratamento, que pode durar entre 35 e 75 minutos por aplicação, em função da zona e do número de aplicadores, o corpo processa a adiposidade de forma natural e a eliminação é feita através do sistema imunitário», pode ler-se no comunicado da empresa farmacêutica.


Veja também:

Confirma-se: mulheres têm o cérebro mais ativo do que os homens, diz a ciência