Experimentador: aprenda a bater como um samurai

Mas é bater a sério, até fartar, para garantir que não sobra um pingo de stress no corpo. E que não vamos bater em ninguém fora dali.

Texto de Ana Pago | Fotografia Getty Images

Há dias em que o trabalho nunca mais acaba. A voz do chefe a ressoar nos ouvidos. Stress e mais stress e «aaaahhhh, se eu pudesse amassar alguém!» E pode.

Um spa não descomprime nem metade do que um combate controlado, na segurança do dojo (o local onde se praticam artes marciais). E não, não é violento.

Não andamos por aí de sabre como os samurais, mas vem deles o método que praticamos – jisei budo. Budo significa «a via do guerreiro». Jisei é o autoaperfeiçoamento do ser humano.

Descobrimos que os músculos e as nódoas negras doem mais no segundo dia após a luta, mas esse é um preço razoável a pagar pela via do guerreiro

Quando é dada a ordem de calçar as luvas, sabemos que as aulas de kikô nos ajudam a ligar à nossa rede energética pessoal; o tai ji é a execução harmoniosa de sequências técnicas que ativam em profundidade cada parte do corpo; o jisen, dança da energia, é a expressão do movimento espontâneo; o kenjutsu usa o sabre como extensão visível de todo este trabalho interior; e o combate é a síntese, pois só seremos eficazes se tivermos um equilíbrio dinâmico de técnica, energia, sensibilidade e presença de espírito.

O estranho é que os nervos diante do parceiro de treino – de quem podemos levar a todo o instante – são muito mais agradáveis do que os nervos do trabalho. E deixam-nos a cabeça leve.

Outra coisa que descobrimos é que os músculos e as nódoas negras doem mais no segundo dia após a luta, mas esse é um preço razoável a pagar pela via do guerreiro: além de nos tirar os excessos do corpo e da alma, ajuda a controlar a vontade politicamente incorreta de dar uns socos em quem nos irrita. Só apanhando para perceber.

Quer experimentar?
No Jisei Dojo (Rua Fernão Lopes, 9, 1º Esq., em Lisboa) continua a seguir-se a via do guerreiro, que ensina a buscar a tranquilidade da mente e a ser mestre no domínio do corpo. Há kiko / tai ji, budo e kenjutsu. Oito aulas por mês (duas por semana) custam 40 euros. Experimentar é grátis. Informações em www.jiseidojo.pt


Veja também:

8 dicas para começar a correr (ainda hoje)