Fobia do espaço? Há quem tenha. Conheça este e outros medos improváveis

Imagine viver condicionado por uma fobia que não consegue controlar. Pode, ou não, saber o que a provoca, mas esta é sempre um peso na vida de quem sofre dela. Daniela, Ricardo ou Catarina partilham os seus medos e contam como estes influenciam as decisões do dia-a-dia.

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia de iStock

O empresário Ricardo Baca Lopes vive em Maputo, Moçambique. Na culinária moçambicana o arroz está muito presente mas Ricardo não lhe toca. Tem verdadeira aversão a todas as comidas que sejam brancas. Leite, arroz, queijo… só se lhes mudar a cor.

Pode ser uma derivação da Cibofobia, medo de comida. Não sabe explicar porque sofre deste pânico e confessa que a infância não foi fácil com os pais a obrigá-lo a comer. Com 38 anos, já ninguém lhe escolhe a comida e nenhum alimento branco entra na cozinha.

«É um medo sistemático e exagerado a alguma coisa que racionalmente não parece justificar o medo», explica o psicólogo Vítor Rodrigues.

Marisa Martins é assessora de imprensa, tem 30 anos e fobia de voar. Define como uma claustrofobia que se descontrola quando está fechada num avião. Por ser um medo que afetaria também o seu trabalho, se não o controlasse, recorreu à psicoterapia e teve efeitos notórios, mas o que a ajudou verdadeiramente foi um curso que a TAP organiza para pessoas com o mesmo problema. Ficou a saber, ao pormenor, como funciona um avião e acha que isso hoje faz a diferença.

É importante não confundir fobia com simples medo. O psicólogo Vítor Rodrigues explica: «É um medo sistemático e exagerado a alguma coisa que racionalmente não parece justificar o medo. Foge a um controlo consciente da pessoa. Imagine uma pessoa que teoricamente reconhece os ratos brancos como inofensivos, mas, como tem uma fobia, pode entrar em pânico só de ver o animal.»

Entre as fobias mais comuns que passam no consultório de Vítor Rodrigues estão as fobias de voar, a pássaros, aranhas, cães ou pânico de morrer.

O tratamento depende «do tipo de abordagem do psicólogo, da fobia e da própria pessoa. Normalmente, usam-se técnicas de hipnose, relaxamento ou meditação», explica o psicólogo.

Entre as mais comuns que lhe passam no consultório estão as fobias de voar, a pássaros, aranhas, cães ou pânico de morrer.

Catarina Almeida, uma jovem gestora de projetos, com 25 anos, tem fobia a cães. Nunca foi atacada, não tem trauma, não sabe como lhe surgiu esta condição. Só sabe que, se ouve um cão a ladrar – mesmo que ao longe -, grita descontroladamente e foge, como aconteceu «ainda na semana passada».

Pode ter herdado da mãe a Cinofobia (medo de cães), mas não tem a certeza. Só sabe que o pior aconteceu quando uma boxer se aproximou dela e não teve como evitar o contacto. «Nunca tive tanto medo na minha vida».

A jornalista Daniela Teixeira, 30 anos, não é fã da Guerra das Estrelas ou do Star Trek. Não pelo enredo ou qualquer personagem mais estranha, é simplesmente… porque se passa no espaço sideral. Tem esta fobia (que ainda não tem nome) desde muito nova e, se começa pensar que estamos no planeta suspenso algures no Universo, entra em pânico.

«Lembro-me de ter ido ao planetário em Espinho e de me sentir muito ansiosa. Foi horrível. Quanto mais pormenorizadas são as imagens, pior. Quanto mais visível for o sem fim que é o Universo, maior é o pânico», relembra.

Fobias que, pode não acreditar, mas existem mesmo:

  • Ablutofobia – Medo de tomar banho
  • Aeronausifobia – Medo de vomitar
  • Aletrorofobia – Medo de galinhas
  • Botanofobia – Medo de plantas
  • Catagelofobia – Medo do ridículo
  • Catoptrofobia – Medo do espelho
  • Dipsofobia – Medo de beber
  • Ergofobia – Medo do trabalho
  • Fagofobia – Medo de engolir ou de comer
  • Fobofobia – Medo de fobias
  • Gimnofobia – Medo da nudez
  • Hedonofobia – Medo de sentir prazer
  • Hidrofobia – Medo da água
  • Iatrofobia – Medo de ir ao médico
  • Lachanophobia – Medo de vegetais
  • Lissofobia – Medo de ficar louco
  • Melanofobia – Medo da cor preta
  • Ninfofobia – Medo do sexo
  • Ostraconofobia – Medo das ostras
  • Penterofobia – Medo da sogra
  • Quionofobia – Medo de ficar louco
  • Melanofobia – Medo da neve
  • Selenofobia – Medo da lua
  • Telefonofobia – Medo de telefones
  • Zoofobia – Medo de animais