Folha de mirtilo: a nova esperança no tratamento da Esclerose Múltipla

Mirtilos, Planta, Fruta

Projeto desenvolvido pela Universidade de Coimbra é visto como uma nova terapia para a Esclerose Múltipla. Com propriedades neuroprotetoras e neuroregeneradoras, o projeto de desenvolvimento do potencial terapêutico da folha de mirtilo é financiado pelo programa INOV C 2020.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia ShutterStock

Projeto da Universidade de Coimbra pretende combater a Esclerose Múltipla através do potencial terapêutico da folha de mirtilo. A investigação, financiada pelo programa INOV C 2020, pretende criar produtos nutracêuticos (combinação de nutrição e farmacêutica), com propriedades neuroprotetoras e neuroregeneradoras.

De acordo com Sofia Viana e Flávio Reis, investigadores responsáveis pela pesquisa, o objetivo é «utilizar as propriedades terapêuticas da folha de mirtilo», sendo que desta forma estão «paralelamente a tirar partido dos recursos endógenos e a acrescentar valor a um subproduto atualmente desperdiçado».

Em Portugal existem cerca de 8 mil pessoas diagnosticadas com Esclerose Múltipla

Em comunicado, considera-se ainda que através da tecnologia aplicada na folha de mirtilo obtêm-se compostos fenólicos «capazes de atuar no Sistema Nervoso Central».

Lembre-se que a Esclerose Múltipla é uma doença degenerativa, crónica e inflamatória. Em Portugal, estima-se que existam mais de oito mil pessoas com esta doença.

A Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla esclarece que esta é uma patologia diagnosticada a partir de uma combinação de sintomas, que surge com maior frequência entre os 20 e os 40 anos de idade.

Existem vários estudos que comprovam os benefícios do mirtilo em diferentes doenças

A equipa de investigação multidisciplinar da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra está a trabalhar em colaboração coma Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica do Porto e tem o patrocínio da Cooperativa Agropecuária dos Agricultores de Mangualde CRL.

Os benefícios do mirtilo há muito que são conhecidos e há vários estudos que comprovam por que é o mirtilo considerado um «superalimento». Além de antioxidante, quando consumido em forma de chá ou sumo, ajuda a prevenir e a tratar infeções do aparelho urinário e, as bagas de mirtilo, podem também melhorar vários problemas de visão, tais como miopias e/ou degeneração da mácula.


Veja também:

7 sinais de falta de saúde que as suas mãos podem estar a dar-lhe