Frango: das lutas para um dos favoritos no prato

Galos e galinhas são as aves mais domesticadas do mundo. O juvenil frango só chegou à cozinha no século XX. Veio para ficar.

Texto de Marina Almeida | Fotografia iStock

As galinhas domésticas (Gallus gallus domesticus) descendem do galo banquiva (Gallus gallus), uma pequena ave que vive nas florestas tropicais na Ásia e foi Charles Darwin quem o descobriu (foi recentemente confirmado por análises de ADN).

As aves foram levadas para a Europa e a América pelos descobridores e comerciantes. No início (há cerca de 7400 anos) eram relevantes para… as lutas de galos. Só no século XX, o frango chega ao prato.

Saiba mais sobre o frango na fotogaleria em baixo:

Raças

Em Portugal, há quatro raças autóctones de galinhas – preta lusitânica, pedrês portuguesa, amarela e branca. Estão em risco de extinção pois não haverá mais de cinco mil exemplares destas raças, sendo a branca a mais ameaçada.

Capoeira

A galinha e o galo são os adultos, os frangos os juvenis. É a ave mais domesticada do mundo, graças à sua carne e ovos – é uma das fontes de proteína mais baratas.

População

Em 2016 havia 22 mil milhões de galinhas no mundo – cerca de 56 por cento na Ásia.

Consumo

Atualmente, é o segundo tipo de carne mais consumido na União Europeia, após a carne de suíno.

Nutrientes

O frango é uma boa fonte de fósforo e outros minerais, assim como vitaminas do complexo B. Contém menos gordura do que a vaca e o porco.

Riscos

Do outro lado da balança, os riscos: para acelerar o crescimento das aves, usam-se hormonas. Consumir frango do campo de origem biológica é uma forma de se resguardar.