Hidratação: o verão exige cuidados especiais

As altas temperaturas, bem como o vento e o ar seco, provocam desidratação. Corpo, pele e cabelo têm necessidades especiais no verão.

Texto de Alexandra Pedro | Seleção de produtos de Rute Cruz

Cerca de 1,5 litros no caso das mulheres e 1,9 litros nos homens. Estas são as quantidades de água que deve ingerir, segundo recomendações do Instituto da Hidratação e Saúde.

O aumento destas porções deve acontecer caso pratique qualquer atividade física, existam temperaturas ambientais elevadas, em situações de doença (com febre ou vómitos) e ainda em caso de gravidez e aleitamento.

Leite, sumos, infusões de chá, frutas, legumes ou sopas podem ajudar a manter os níveis de água do corpo, sendo a hidratação fundamental para o bom funcionamento do mesmo.


Veja também:

Adesivos de proteção da pele podem ser «mais-valia» contra o cancro


 

Além de se encarregar do transporte de nutrientes para as células, conduz substâncias tóxicas para fora do corpo e regula a temperatura corporal. Tem também benefícios em relação ao peso – uma vez que acelera o metabolismo – e zela pela juventude da pele.

O excesso de sol na pele é um dos fatores que favorece a sua desidratação. Quando as horas de exposição são maiores deve utilizar um creme hidratante e, mais uma vez, aumentar a ingestão de água.

É também nesta época que o cabelo tende a ficar mais desidratado, notando-se desde logo a redução da sua elasticidade, podendo ainda aparecer seborreia e caspa com o aumento do suor e exposição ao calor.

O que deve fazer? Aplicar máscaras hidratantes, prendê-lo quando está em contacto com cloro ou água salgada e evitar utilizar secador de cabelo quente ou placas alisadoras.