Lentes de contacto: como a má utilização pode levar a complicações graves

O alerta é da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia: nem todas as pessoas podem usar lentes de contacto. As implicações podem ser graves e é importante saber como deve utilizar as suas lentes. Walter Rodrigues, coordenador do grupo de superfície ocular, córnea e contactologia da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia falou com a revista Life sobre o tema.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia iStock

«Num caso extremo, um utilizador de lente de contacto pode perfurar a córnea [parte transparente do olho] e ter complicações sérias ao nível ocular», diz Walter Rodrigues, coordenador do grupo de superfície ocular, córnea e contactologia da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia.

Em declarações à Life sobre a utilização das lentes de contacto, o especialista lembra que as lentes são um corpo «estranho» em contacto com a córnea e, por isso, é extremamente importante a correta utilização das mesmas e a consulta com um oftalmologista frequentemente.

Quem utiliza lentes de contacto deve consultar um oftalmologista pelo menos uma vez por ano.

«Pelo menos uma consulta anual é necessária», frisa. «Só um oftalmologista consegue perceber se existem complicações nos olhos, se está a ter lesões ou neovasos nos olhos», acrescenta ainda Walter Rodrigues.

A limpeza das lentes é também um processo importante para evitar infeções oculares, não esquecendo que tudo é alvo de contágio. «É fundamental a higienização na hora de colocar a lente de contacto. Tem de ter as mãos bem lavadas. E fazer o processo corretamente», diz.

Primeiro abre o estojo das lentes (onde estão a maioria das bactérias que podem infetar o olho), depois lava as mãos e, por fim, coloca as lentes. «Se primeiro lavar as mãos e depois abrir o estojo já está infetado», sublinha o oftalmologista.

Olho vermelho, sensação de areia e desconforto são sinais de alerta da má utilização das lentes de contacto.

O tempo de utilização é outro dos fatores que podem influenciar as lesões no olho. «Quanto menos tempo tiver que utilizar a lente, melhor. Sempre que puderem devem retirar as lentes, porque a córnea é um tecido transparente que necessita de oxigénio. Com a lente de contacto, o oxigénio fornecido quer pelo ar, pela lágrima ou pelos vasos é reduzido», justifica o especialista.

Os sinais de perigo manifestam-se com o aparecimento de olho vermelho, sensação de areia e algum desconforto. «A dor, normalmente, surge apenas quando retira a lente. Isto porque só quando pestaneja e passa na úlcera é que lhe dói, até então estava “protegida” pela lente», acrescenta o médico.

Os problemas mais frequentes decorrentes de um má utilização das lentes de contacto são as infeções oculares. «Qualquer ulcera na córnea está sempre associada a algumas complicações. Depois, a gravidade do problema depende do agente bacteriano que estamos a falar», alerta o especialista, lembrando que estas patologias podem levar à diminuição da atividade visual.

Veja na fotogaleria alguns conselhos para evitar lesões nos seus olhos.