Ler livros torna-nos melhores pessoas

É a ciência que o diz: além de serem um ótimo entretém, trazem empatia, saúde e felicidade

Texto de Ana Pago | Fotografia ShutterStock

Que ler nos faz bem à alma é coisa que todo o leitor ávido sabe por experiência própria. O que talvez não soubesse, mas a ciência confirma agora, é que também nos protege de falhas de memória e stress, reduz o risco da doença de Alzheimer, aumenta a longevidade, a inteligência, a empatia e a felicidade.

A Universidade de Liverpool demonstrou que leitores regulares são menos stressados, menos deprimidos, mais resilientes, empáticos e seguros de si.

Vamos lá então por partes: investigadores da Universidade Case Western Reserve, nos EUA, descobriram que a leitura assídua nos torna duas vezes e meia menos suscetíveis ao Alzheimer no futuro e corta o declínio mental em 32 por cento.

Outra pesquisa da Universidade de Edimburgo e do King’s College London apurou que gémeos que leem mais têm maior destreza cognitiva face aos irmãos. Cientistas da Universidade de Toronto provaram que ler ficção inspira a criatividade.

A Universidade de Liverpool demonstrou que leitores regulares são menos stressados, menos deprimidos, mais resilientes, empáticos, seguros de si. E, por fim, diz a Universidade Yale que ler 30 minutos por dia nos dá mais 23 meses de vida. Se dúvidas houvesse do que pedir neste Natal…


Veja também:

Enviou uma mensagem durante a noite e não se lembra? Pode estar a fazer «sleep texting»