Metade dos adultos que acham que têm alergias alimentares… estão errados

Milhares de pessoas que concluíram que sofrem de alergias alimentares foram induzidas em erro, diz novo estudo.

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia de iStock

A pesquisa foi realizada nos Estados Unidos e publicada no JAMA Network Open. A equipa que conduziu o estudo faz parte do Anna and Robert H. Lurie Children’s Hospital, em Chicago.

Cerca de 40,000 adultos responderam a um questionário sobre hábitos alimentares e, segundo as respostas, apenas metade dos inquiridos consultou um especialista acerca de supostas alergias alimentares.

Pior ainda, menos de um quarto tem uma receita de epinefrina (substância normalmente conhecida como adrenalina), hormona que aumenta a pressão arterial e os níveis de glucose no sangue, reduzindo o edema (inchaço) que pode formar-se no rosto, lábios ou garganta devido à reação alérgica.

«É muito importante ir a um médico para fazer os testes necessários antes de se diagnosticar alguma alergia.»

Ruchi Gupta, médica responsável pelo estudo disse ao Independent que «um em cada dez adultos tem alguma alergia alimentar. Mais do dobro dessa percentagem acha que é alérgico a algum alimento quando, na verdade, mostra sintomas de intolerância ou outra condição alimentar».

«É muito importante ir a um médico para fazer os testes necessários antes de se diagnosticar alguma alergia. Caso se verifique que existe mesmo, é preciso saber como identificar os sintomas e como usar a epinefrina», defende a médica.

O estudo também identificou que grande parte das alergias aparece na fase adulta. «Foi uma surpresa para nós perceber que alergias na fase adulta são tão comuns», diz Gupta. Entre os alimentos, o marisco aparece em primeiro lugar como causa de alergias.

Leia também

Alergias alimentares: quando a comida pode matar