A minha sogra é mais à frente do que a tua

– A minha mãe vem cá neste fim de semana. Já te tinha dito, não já?
– Não. Não me tinhas dito nada.
– Desculpa. Com tanta coisa na cabeça, passou‑me.
– Por acaso já sabia, ela tinha‑me dito. Mas preferia saber por ti. Já avisei a malta que sexta à noite não vou jogar à bola para ir buscar a tua mãe ao comboio. E no domingo íamos aos meus pais, mas passa para a outra semana.
– A minha mãe tinha‑te dito?! E vais buscá‑la ao comboio? E não me dizes nada? Nem ela?
– Esqueci‑me. Combinámos ontem por Messenger?
– Por Messenger? A minha mãe nem sabe mexer no computador, quanto mais Messenger.
– Ela pediu‑me amizade no Facebook e começámos a falar. Foi ontem ou anteontem. Não me lembro bem. Para quem não sabe mexer no computador é muito rápida no smartphone. Estivemos na conversa uma ou duas horas.
– Facebook? Mas desde quando é que a minha mãe tem Facebook? Ela não me pediu amizade.
– Então pede‑lhe tu. Há lá umas fotos tuas na cronologia dela. De ti quando eras pequena. E outras do ano passado, no jantar de Natal.
– Mas a minha mãe está a passar‑se? Desculpa?! E tu és assim amigo da minha mãe no Facebook e não me dizes nada.
– Pensava que sabias. Ela falou comigo há dias para comprar o telemóvel. Queria comprar um tablet mas eu aconselhei‑a a comprar antes o smartphone. E depois temos falado.
– Tu sempre te deste bem com a minha mãe, mas isso é um exagero.
– Tu é que te dás mal com a tua mãe, não sou eu que me dou bem com ela.
– Tu és o genro, eu sou a filha. É normal ela gostar de ti e andar às turras comigo, isso faz parte. Mas tenham lá calma um com o outro.
– Acho que és muito dura com a tua mãe. De cada vez que ela pede alguma coisa ou quer falar contigo, estás sempre a despachá‑la. Ainda na semana passada fizeste isso outra vez quando ela tinha dúvidas sobre o restaurante para levar o namorado novo.
– Mas qual namorado? A minha mãe tem um namorado?
– Se tu a ouvisses ias perceber que sim. Mas não a deixaste falar. Despachaste a conversa.
– E como é que tu sabes essas coisas?
– Ela ligou para mim a seguir, a queixar‑se. Queria desabafar, coitada.
– Se quer desabafar e fazer queixas de mim, podia ligar para o meu irmão. Ou para a minha tia. E vai ligar para ti por alma de quem? Mas agora o meu marido dá conversa à minha mãe e aconselha sobre restaurantes para levar o namorado? Mas estás a passar‑te?
– Na verdade ela não queria bem um conselho sobre o restaurante. Ela queria era uma opinião sobre a roupa. Saber se o decote não era muito ousado e se não estava a esticar‑se para um segundo encontro.
– Mas é namorado ou era um primeiro encontro? O que é que tu lhe disseste?
– Eu disse que dependia da forma como se tivessem conhecido.
– E o que é que ela respondeu?
– Disse que o conheceu no Tinder.