Não consegue cumprir as resoluções de Ano Novo? Isto pode ajudar

Ano novo, vida nova. Todos cedemos à tentação de guardar para o início do ano as mudanças que fomos adiando ao longo dos meses. As resoluções de ano novo são um poderoso incentivo… mas raramente são cumpridas. Desta vez, leve a sério o que pediu e não desista. Nós damos uma ajuda.

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia de iStock

Janeiro é um mês difícil. Está frio, tem cinco semanas e é o mês que determina se vai levar adiante ou não o que resolveu no réveillon. O problema é que à primeira – ou segunda – cai em tentação e desculpa-se com um «não tenho força de vontade suficiente».

Frank Ryan, psicólogo e autor do livro Willpower for Dummies (Força de Vontade para Totós), disse ao The Guardian que «a força de vontade é um recurso que vai oscilando consoante a nossa motivação para determinada situação. Qualquer pessoa pode treinar a sua força de vontade para esta se tornar mais eficaz e menos dada a recaídas».

Estas são algumas formas de o fazer. Vai notar a diferença na forma como encara as resoluções. Não desista.

SAIBA RECONHECER O SEU PERFIL

Não somos todos iguais nem encaramos as resoluções da mesma maneira. Se é uma pessoa introvertida, é capaz de se motivar sozinha, se organizar o seu tempo de acordo com o que quer atingir e refletir de forma frequente sobre o seu progresso, por exemplo, escrevendo um diário. Se é uma pessoa extrovertida, é mais dependente de pessoas e da sua aprovação. O melhor para si será procurar um grupo que partilhe o mesmo objetivo para o manter incentivado.

ELABORE UM PLANO

Este estudo elaborado pelo British Journal of Health Psychology concluiu que 90% dos participantes que elaboraram um plano de exercício conseguiram levá-lo até ao fim. Segundo a neurologista Magdalena Bak-Maier, «planear é importante para o cérebro porque constrói uma sequência. E este também gosta de ordem e de sentir que tem tudo controlado». A especialista dá um exemplo. «Se decide, por exemplo, escrever um guião, planeie acordar todos os dias mais cedo para escrever 500 palavras antes de ir trabalhar.»

UMA RESOLUÇÃO DE CADA VEZ

Um dos grandes motivos para grande parte das resoluções falharem é que há uma sobrecarga de metas a cumprir. Doze passas, doze desejos? Não faça isso. Escolha o mais importante e foque toda a sua energia nesse objetivo. Não vale a pena decidir que vai deixar de fumar, deixar de beber, ser vegetariano e fazer exercício ao mesmo tempo. Vai acabar por ceder numa ou mais, à tentação. Defina uma meta e siga um caminho.

ENCONTRE A MOTIVAÇÃO CERTA

É importante saber porque está a levar avante uma resolução. Ter um objetivo bem definido, sem ideias hipotéticas, é importante para seguir até ao fim. Por exemplo, se quer fazer voluntariado para ajudar os outros, se quer perder peso porque a sua saúde está debilitada, se quer ter mais responsabilidade no trabalho porque vai ganhar mais. Saiba o seu «porquê» e pense nisso sempre que tiver a tentação de desistir.

APRENDA COM OS ERROS

Existe uma diferença entre desistir de uma resolução e ter uma recaída ocasional. O psicólogo Frank Ryan dá um dos exemplos mais comuns: «Imagine que resolver deixar de fumar. Esta é uma das resoluções mais frequentes. Se voltar a fumar todos os dias, depois de um mês, é uma desistência. Agora, se saiu à noite e fumou meio cigarro, não há problema, retire desta recaída uma aprendizagem. “Porque eu fumei? Para acompanhar os meus amigos no cigarro fora do bar? Porque bebi e estavam todos a fumar?” Pense porquê e prepara-se para a próxima vez. Se calhar não vai beber tanto ou fica dentro do bar quando os seus amigos saírem. As estratégias mais simples podem ser as mais eficazes.»