Natal sempre ligado à família? 7 dicas para poupar a bateria dos telemóveis

Entre chamadas de familiares e amigos, mensagens de boas-festas e selfies com as luzes na rua, ninguém vai querer passar o Natal sem bateria nos telemóveis. A Wiko, empresa europeia de smartphones, ensina-lhe como poupar a sua.

Texto DN Life | Fotografias da Shutterstock

BLOQUEIO

Tal como o ecrã consome energia quando usamos os telemóveis, o mesmo sucede nos segundos que os aparelhos levam a bloquear automaticamente após a chamada. Sendo assim, experimente reduzir este intervalo de tempo para o mínimo possível.

LUMINOSIDADE

Da mesma maneira, o consumo energético do seu telemóvel será tanto maior quanto mais intensa for a luminosidade do ecrã. É boa ideia recorrer à ferramenta do ajuste automático para manter a luz do visor no mínimo – assim como assim, pode sempre aumentá-la mais tarde se necessário.

APLICAÇÕES

Quem já abriu uma série de aplicações e se esqueceu de fechá-las depois, sabe bem como isso se traduz num gasto energético do smartphone, mesmo em descanso. Daí a importância de finalizar corretamente os programas para proteger a bateria, seja um a um ou encerrando todos de uma vez através de um botão de toque que lhe mostra tudo o que está aberto em segundo plano.

MODO AVIÃO

Já lhe aconteceu estar num local com pouca rede e ver a bateria a desaparecer irremediavelmente? Pois notará a diferença se ativar o modo avião (ou modo de voo), que evita que o smartphone esteja sempre à procura de rede. Para um carregamento mais rápido é também este o melhor modo a usar.

VIBRAÇÃO

Sabendo que programar o telemóvel para vibrar gasta mais energia do que pô-lo a tocar, aumente o som se por acaso tiver receio de não ouvir a chamada. Caso necessite de mantê-lo no silêncio, deixe-o num local que lhe permita ver o visor a iluminar-se.

CARGA

São tudo erros básicos de carregamento, que interferem com a autonomia do aparelho, e no entanto poucos de nós escapam a cometê-los: ora ter a bateria com pouca carga, ora tê-la com a carga completa, ambas de forma prolongada. É preferível carregar o smartphone parcialmente do que dos 0 aos 100 por cento de uma assentada.

FUNÇÕES

Outras formas de poupar bateria – estas já de senso comum e há muito postas em prática pela maioria dos utilizadores – passam por desativar funcionalidades como a rotação automática ou as notificações push-up, não abusar do GPS e desligar o Bluetooth, o Wi-Fi e os dados móveis sempre que não estamos a usá-los. Tudo é bom para não ficarmos desligados.