Há pessoas que nunca se lembram dos sonhos. E há razões para isso

Não se entende bem a origem, o que significam e porque são tão díspares. Apesar de ainda existirem vários mistérios em torno dos sonhos, o facto é que sonhamos todas as noites. No entanto, nem todos temos a mesma capacidade de nos recordamos dos sonhos.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia ShutterStock

«Imaginação do inconsciente», «vontades reprimidas» ou mera «atividade cerebral confusa» são algumas das explicações que existem para os sonhos. Entre as grandes dúvidas que existem sobre esta matéria, há uma que se destaca: porque conseguem algumas pessoas recordar-se melhor dos sonhos do que outras?

Deirdre Leight Barrett, professora de psicologia na Universidade de Medicina de Harvard e autora do livro The Committee of Sleep (ver imagem em baixo), explicou à revista Mental Floss alguns dos fatores que podem influenciar a memória em relação aos sonhos. Saiba quais são-

Género

As mulheres conseguem lembrar-se mais dos sonhos que os homens. Os investigadores não conseguem explicar exatamente porquê, mas Barrett acredita que o facto está relacionado com questões biológicas ou diferenças hormonais. Ainda assim, a professora diz que estas diferenças entre géneros são bastante «modestas».

Idade

De acordo com a especialista, é aos 20 anos que as pessoas conseguem recordar-se mais e melhor dos seus sonhos. À medida que a idade avança, vai havendo uma quebra gradual na recordação dos sonhos.

Personalidade

Existe uma relação ente a recordação dos sonhos e alguns traços de personalidade. Segundo Deirdre leight Barrett, as pessoas «mais sensíveis tendem a recordar-se melhor dos sonhos, enquanto as mais focadas e pragmáticas têm maiot dificuldade».

Horas de sono

Quanto mais tempo as pessoas dormem mais probabilidade têm de conseguirem recordar-se dos seus sonhos. Esta analogia está relacionada com os ciclos do sono, nomeadamente com a quantidade de sono REM (Rapid Eye Movement), que é quando ocorrem os sonhos.

Atividade cerebral

A atividade do cérebro pode influenciar a recordação dos sonhos, no sentido em que quanto mais regiões estiverem ativas maior será a probabilidade de saber com o que sonhou depois de dormir.

Resposta a estímulos externos

«Hoje vou lembrar-me o que sonhei». Segundo Barrett, o simples fato de pensar que se quer recordar o que sonhou pode ajudar a que isso aconteça. De acordo com a especialista, o simples fato de estar a ler este artigo poderá levar a que consiga lembrar-se.