O barco que mudou a vida desta família

Nada parecia faltar a Catarina e a Jorge. A não ser uma grande aventura. Em 2015, pegaram nos três filhos, soltaram amarras e começaram a explorar o mundo a bordo de um catamarã.

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografias de Catarina Freitas e Jorge Mendes

Março de 2015. Catarina e Jorge fizeram as malas, pegaram nos três filhos e rumaram às Caraíbas para realizar um sonho antigo – viajar pelo mundo de barco. Para trás ficava uma vida em Macau, pouso da família entre 2011 e 2014.

«O ritmo era diferente, a própria cidade é muito acelerada», diz Catarina Freitas a partir do Taiti, onde estão desde junho. «Mais do que o cansaço do trabalho [ele era consultor, ela engenheira], o mais difícil era a rotina, os dias iguais, uns a seguir aos outros e a vida a passar depressa. De manhã era preciso ter as três crianças prontas para ir para a escola a horas, ir para o trabalho, chegar o final do dia com os banhos, os TPC, o jantar…»

Leia a reportagem completa na edição em papel da DN LIFE, já nas bancas.

Escolher o barco certo

João e Catarina têm alguns conselhos para quem pensa em embarcar numa aventura no mar. Primeiro, é preciso definir onde se vai navegar e depois eleger o barco para o trajeto. «Um barco bom nos climas tropicais não é certamente o ideal para as zonas frias e vice-versa. Nós sabíamos que íamos estar pelos trópicos por isso escolhemos um catamarã.

Até encontrarmos o El Caracol penámos muito em buscas na Internet, enviámos e-mails para outros amigos com barco para estarem atentos a boas oportunidades. Fomos a La Rochele em França, Grécia e Turquia, parecia uma missão impossível. Uma família de Macau que já estava de barco nas Caraíbas deu-nos a dica que estava um catamarã à venda na Martinica por um bom preço e não estava listado em nenhum site. O Jorge voou para o verificar e foi amor à primeira vista.»

Sobretudo, é importante não deixar os receios ou preparativos adiarem a partida. A realidade é muito diferente daquilo que se possa ler em fóruns da internet ou livros da especialidade. Em geral o mar é mais brando, e mesmo que às vezes apareçam imprevistos, fazem parte da aventura.