Os bebés riem como…os chimpanzés, segundo a ciência

Os bebés riem como...os chimpanzés, segundo a ciência

Poucas coisas são tão irresistiveis como o riso de uma criança. E um novo estudo revela que bebés e adultos não riem da mesma maneira. Os bebés inspiram e expiram ao mesmo tempo, quando dão gargalhadas.

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia de istock

Os primatas – sobretudo, os chimpanzés – fazem o mesmo. A pesquisa da Universidade de Amesterdão envolveu vídeos de riso de 44 crianças, entre os três e dezoito meses, que foram analisados por 102 pessoas.

Enquanto bebés e primatas riem quando há um contacto físico, como cócegas, os adultos riem sobretudo com interações intelectuais.

Este grupo avaliou a quantidade de vezes que o riso era produzido quando inspiravam ou expiravam e chegaram à conclusão que os bebés mais novos riem em ambos, como os chimpanzés, enquanto que normalmente, os adultos riem ao expirar.

Os autores afirmam que esta mudança pode ser um dos resultados do controlo vocal que vamos adquirindo à medida que aprendemos a falar. As razões do riso também se alteram com o tempo. Enquanto bebés e primatas riem quando há um contacto físico, como cócegas, os adultos riem sobretudo com interações intelectuais.

Disa Sauter, psicóloga e uma das autoras do estudo, afirma que este pode ser o ponto de partida para uma investigação mais aprofundada. «Se soubermos como soam os bebés com um desenvolvimento normal, criamos bases para detetar cada vez mais cedo sinais de problemas no comportamento não-verbal.»