Excesso de cera nos ouvidos: como afeta a sua saúde

A perda de audição, especialmente na população mais idosa, é uma das consequências do excesso de cera nos ouvidos. O problema pode trazer complicações ao nível cognitivo – e até social.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia iStock

«A quantidade excessiva de cera nos ouvidos pode causar perda de audição ou zumbido e, em alguns casos, provocar vertigens, aumentando o risco de cair». A afirmação é Jackie Clark, presidente da Academia Americana de Audiologia à Scientific American.

Para a especialista, há uma correlação direta entre a perda de audição e o chamado cerúmen – associada à sujidade, poeira e detritos – que normalmente é produzido pelo corpo como forma de limpar e proteger os ouvidos.

«sensação de ouvido entupido, comichão, perda de capacidade auditiva, dor de ouvido, tosse e zumbido» são alguns dos «sintomas» de obstrução do canal auditivo

A higiene dos ouvidos é suficiente para a proteção dos mesmos, defende Jackie Clark. No entanto, há algumas pessoas que bloqueiam completamente o canal auditivo devido ao excesso de cerúmen, prejudicando a sua audição.

«O cerúmen é uma substância natural, produzida por glândulas presentes na pele do canal auditivo exterior, e tem como função a limpeza, lubrificação e proteção da pele desta estrutura», diz Tiago Órfão, otorrinolaringologista no Trofa Saúde Hospital, em Alfena. Por isso, quando se encontram pequenas porções de cera do lado de fora do ouvido é sinal que o corpo está a funcionar bem e está a eliminar a cera mais antiga.

Ainda assim, salienta o especialista do Trofa Saúde Hospital, em «algumas situações, uma produção excessiva de cerúmen, originada por uma falha na limpeza ou existência de um canal estreito ou tortuoso, pode resultar numa oclusão total do canal auditivo.

«Existem vários métodos de limpeza de cerúmen, que incluem uma remoção manual, com um instrumento chamado cureta ou por aspiração, ou a lavagem auricular, com instilação de água», sublinha o médico, indicando que a maioria das pessoas «não precisa de remover regularmente a cera, pois tem um sistema de autolimpeza eficaz».

Excesso de cerumem pode estar relacionado com o desempenho cognitivo e distúrbios de memória.

Um estudo realizado por uma equipa de investigadores japoneses em 2014 revelou que os efeitos da remoção do cerumen podem ser imediatos. Segundo a Scientifc American, quando este processo foi realizado em idosos com distúrbios de memória houve melhorias significativas no seu desempenho cognitivo.

Muitas vezes, os primeiros sinais de perda de audição são ignorados. De acordo com o National Institute on Deafness and Other Communication Disorders (EUA), existem alguns indícios da perda de audição que são mais frequentes, tais como «achar que os sons estão abafados» ou «perda de concentração quando existem barulhos de fundo».

A Organização Mundial de Saúde calcula que cerca de 360 milhões de pessoas vivam com uma perda de audição que é considerada incapacitante e que 330 milhões de pessoas sofram de infeções crónicas nos ouvidos.

Relações sociais e emocionais podem ser afetadas pela perda de audição. a OMS estima que 360 milhões de pessoas vivam com este problema.

Um dos grandes problemas desta anomalia está relacionada com o impacto que tem na comunicação, mas não só. A educação, o emprego, bem como as relações sociais e emocionais também podem ser afetadas pelas dificuldades em ouvir.

Na fotogaleria em cima saiba o que não deve fazer quando tem excesso de cerúmen nos ouvidos.


Veja também:

Lentes de contacto: como a má utilização pode levar a complicações graves