Pilates: aprenda a ser como uma árvore

Ainda que trabalhe todos os músculos do corpo (e mais alguns que só descobrimos que temos quando doem), o pilates fortalece sobretudo o core – o tronco –, que sustenta uma boa postura. A partir daí é flexibilidade e equilíbrio. Como as árvores.

Texto de Ana Pago | Fotografia ShutterStock

Em cada exercício, mantenha o foco e procure relaxar dentro da tensão.

Evolução

Há vários exercícios de pilates, nenhum fácil (nem mesmo os que se dizem para principiantes), cada um a requerer o uso de músculos agonistas (que permitem o movimento) e estabilizadores (sem os quais não nos manteríamos na posição). O importante é respeitar os limites do corpo e perceber como ele responderá cada vez melhor à exigência dos movimentos da sequência de 34 criada por Joseph Pilates na década de 1920.

Hundred

Deitado no chão, esticado, com a cabeça e os ombros ligeiramente elevados (em decúbito dorsal), cotovelos e joelhos estendidos, a manter a flexão plantar do tornozelo, levante os pés, fletindo o quadril cerca de cinco centímetros acima do solo. Inspire para elevar a cabeça e o tronco até chegar à base das escápulas, alongando os braços para a frente (como se fosse tocar nos pés). Lance-os para cima e para baixo.

Roll Up

Deitado em decúbito dorsal, com os braços acima da cabeça o mais próximo possível do solo, comece a movê-los até ficarem apontados ao teto e continue a descer, fazendo a cabeça subir e o tronco enrolar até formar um C. Os membros inferiores continuam ancorados no chão enquanto o corpo faz este movimento fluido, sem recorrer a impulsos.

One Leg Circle

Deitado como na posição anterior mas com os braços estendidos ao lado do corpo, as mãos a pressionar para baixo, levante uma perna em direção ao teto, a formar um ângulo de 90 graus com o chão sem elevar a bacia. Faça um círculo com o quadril sem causar instabilidade, isolando o movimento no membro inferior sem compensar com o resto do corpo (a outra perna mantém-se estendida).