O estilo de vida afeta mais a saúde do que vírus e bactérias

Rangan Chatterjee, especialista em Medicina Progressiva, mostra como através de pequenas mudanças pode ter uma vida longa e feliz. «Quero ir além do tipo de conselhos que já todos lemos há tanto tempo – para além das dietas da moda e dos programas de exercício pontuais para resolver isto ou aquilo», escreve o autor.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia ShutterStock

O livro O Plano dos 4 Pilares – Para Uma Vida Longa e Saudável [ed. Lua de Papel] quer-se revolucionário com pequenas alterações no dia-a-dia.

Rangan Chatterjee, especialista em Medicina Progressiva, enumera quatro pilares – relaxar, dormir, mexer-se e nutrir – essenciais para ter uma vida plena e oferece um plano para saber cuidar de cada um deles.

«Como é que dorme? O que é que come? Tem um trabalho sedentário? Está sempre a consultar o smartphone ou o tablet?»

«A ideia básica é simples. Dado que cada parte do nosso corpo afeta, em maior ou menor grau, praticamente todas as outras partes, precisamos de assumir uma perspetiva muito mais abrangente do tratamento, tendo em consideração todos os aspetos da vida diária do paciente.

Como é que dorme? O que é que come? Tem um trabalho sedentário? Está sempre a consultar o smartphone ou o tablet?», questiona o autor no livro.

Doctor in the House é o programa da BBC apresentando pelo médico britânico

A reflexão do médico persiste na ideia que é mais importante dar prioridade às causas do que aos sintomas. Causas essas que muitas vezes estão relacionadas com os maus hábitos do dia-a-dia, como uma má alimentação ou poucas horas de sono.

«Os problemas de saúde da maioria dos pacientes que atendo – sim, da maioria – devem-se inteiramente ao estilo de vida que levam. Não são cortes, hematomas, bactérias, fungos, um vírus, um tumor ou um distúrbio hereditário o que constitui a fonte da dor de que padecem, mas antes a forma como escolhem viver», diz o especialista.

O Plano dos 4 Pilares | Autor: Rangan Chaterjee | 252 páginas | Preço 15,90 euros

Assim sendo, Chatterjee defende que se alcance o equilíbrio entre os quatro pilares. No livro, existem alguns exemplos daquilo que deve fazer para melhorar a «performance» de cada pilar (veja em baixo).

Relaxar:

  • Tirar tempo para mim todos os dias;
  • Um dia sem ecrãs todas as semanas;
  • Ter um diário de gratidão;
  • Uma prática diária de imobilidade.
  • Tomar uma refeição por dia a uma mesa – sem um aparelho eletrónico.

Nutrir:

  • Eliminar o açúcar dos seus hábitos (e reeducar as papilas gustativas);
  • Comer cinco vegetais diferentes todos os dias;
  • Consumir todos os alimentos num período de 12 horas
  • Beber oito copos de água por dia;
  • Eliminar os alimentos processados da dieta evitando qualquer produto alimentar que contenha mais do que cinco ingredientes.

Mexer-se:

  • Dar pelo menos 10 mil passos por dia;
  • Fazer algum treino de força duas vezes por semana;
  • Fazer um treino de intensidade elevadas duas vezes por semana
  • Ganhar o hábito de fazer pequenos exercícios durante o dia;
  • Fazer exercícios diários para acordar os glúteos.

Dormir:

  • Criar um ambiente de escuridão total;
  • Passar pelo menos 20 minutos ao ar livre todas as manhãs;
  • Criar uma rotina antes de ir dormir;
  • Gerir a agitação;
  • Tomar café até ao meio-dia.

O livro O Plano dos 4 Pilares tem, além de vários exercícios e estratégias para desenvolver os pontos acima descritos, várias dicas, calendários e informações preciosas para o ajudar a manter o foco.

Como exemplo, o médico dá-lhe seis alternativas para as alturas «em que lhe apetece mesmo algo doce». São elas: beber dois grandes copos de água, fazer respiração profunda, distrair-se com uma tarefa complexa para redirecionar a sua atenção, comer uma peça de fruta, comer frutos secos ou ainda, «se estiver mesmo com dificuldades», comer um quadradinho de chocolate negro com 90 por cento de cacau.