Como preparar os seus filhos para o regresso às rotinas escolares?

Falta pouco para as aulas começarem. Depois de três meses de férias, é bom que os miúdos comecem a preparar-se com alguma antecedência para o regresso às rotinas, horários e ritmos de «trabalho» do resto do ano.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia iStock

Pedimos à psicóloga e especialista em desenvolvimento infantil, Ana Manta, que explicasse qual a melhor forma de preparar o seu filho para mais um ano letivo, ainda durante o período de férias. O processo, segundo a especialista passa por «aproveitar as brincadeiras como momentos de aprendizagem. É importante aproveitar as férias e brincar muito, porque na brincadeira e nos jogos as crianças aprendem de uma forma natural», diz.

Ana Manta considera que o início do mês é a altura indicada para iniciar o regresso aos horários e ritmos do período escolar

A autora e mãe de três filhos sugere que a introdução de alguns exercícios escolares pode ser feita através de alguns jogos e desafios que despertem a atenção das crianças e jovens.

«Pode ser, por exemplo, ler um livro e pedir para escrever um resumo, fazer uma lista de palavras e pedir para fazer um texto com essas palavras. Os miúdos podem também treinar a mente através de desafios ligados ao dia-a-dia, como contar os quilómetros das caminhadas em família ou os litros de leite que bebem por dia».

Todas estas atividades trabalham competências escolares sem ter o cariz pesado do trabalho. «Se todos os dias a partir do início de setembro fizerem alguns destes exercícios e jogos já é bom», diz a especialista.

«Em teoria as crianças devem dormir cerca de 10 horas», mas «cada casa tem os seus horários e rotinas».

Ana Manta considera que o início deste mês é a altura indicada para iniciar o regresso aos horários e ritmos do período escolar.

«É importante que desde o inicio de setembro se comece a recuperar as rotinas, sem grande pressão», diz, lembrando que «em teoria as crianças devem dormir cerca de 10 horas», sendo que «cada casa tem os seus horários e rotinas».

«Pela minha experiência como psicóloga, muitos pais dizem que se deitarem a criança muito cedo nem têm tempo para brincar ou fazer algo em conjunto. Nada deve substituir esses momentos de interação e, por isso, cada casa deve ter os seus horários e rotinas. Posso dizer que em minha casa a regra é, para o meu filho de seis anos e para minha filha de 12, deitar às 22 horas. O adolescente, com 14, já é mais difícil de adormecer a essa hora», revela a psicóloga.

Veja na fotogaleria algumas dicas para que o seu filho regresse às rotinas da melhor forma.


Leia também:

«Peso exagerado nas mochilas está ligado a contraturas musculares, má postura e excesso de carga nos discos da coluna»