Seis exercícios para não perder o ritmo nas férias

Quem acha que férias se resumem a banhos de sol, barriga para o ar e caipirinhas está muito enganado. A menos, claro, que queira perder o ritmo de treino que tanto lhe custou a ganhar – e irá custar ainda mais a recuperar se não fizer por isso.

Texto Ana Pago

Estamos sempre a ouvir dizer que férias são para descansar (possivelmente por quem não mexe um músculo há bastante tempo), contudo não é por estarmos longe do ginásio que deixamos de precisar de trabalhar o corpo. «Ah, mas e a diversão? O repouso? Aproveitar a família e os amigos?». Há tempo para tudo.

Nadar

Há mar a perder de vista se for para a praia. Rio nas praias fluviais. Lagos. Barragens. A piscina do hotel. E assim sendo acabaram-se as desculpas para não entrar já dentro de água e fazer uma hora de natação – é o exercício mais completo –, na certeza de que estará também a queimar a bola-de-berlim com creme que comeu ontem à tarde. Se no final ainda tiver fôlego para jogar um pouco à bola enquanto o corpo seca, melhor.

Bicicleta

Pode usá-la sempre que precisar de ir às compras, ao café, à esplanada, passear, encontrar-se com amigos, experimentar um novo trilho: vale tudo menos ficar alapado na espreguiçadeira quando o sol pede movimento. Programe-se para pedalar naquelas alturas do dia em que costuma estar com mais disposição para aventuras: afinal de contas isto é treino, não é tortura medieval.

Caminhadas

São a base do que quer que decida fazer nas férias, incluindo ir à padaria logo de manhã, então porque não tirar o máximo partido delas? São os cientistas de Harvard quem o diz: caminhar 30 minutos por dia previne inflamações das vias respiratórias, reduz a pressão arterial, regula o sono e o apetite, retarda o envelhecimento, acelera o metabolismo e afasta depressões. De que é que está à espera?

Corrida

Começou por caminhar e de repente já lhe apetece sair disparado por aí? Mantenha-se firme, uma vez que a corrida melhora a qualidade do sono, os níveis de colesterol, a capacidade pulmonar e cardiovascular, reduz a gordura corporal e mais uma série de pontos a favor. Se vir que é possível vir a fraquejar, convide alguém para correr consigo: assumir esse compromisso com outra pessoa facilita as primeiras passadas.

Saltar à corda

Lembra-se de ser criança e passar tardes a fio a saltar à corda na rua, sem outra preocupação além de evitar ficar enredado? Pois saiba que pode – deve – continuar a fazê-lo em casa, mal acorde ou no regresso da praia, pela fresca. É um exercício fácil, completo, ótimo para tonificar os músculos, fortalecer o sistema cardiovascular, queimar calorias e enrijar a barriga – um sonho. E se até os miúdos conseguem…

Ténis

E quem diz ténis diz agarrar num par de raquetes de madeira das mais simples (a falta de courts não é impedimento) e ir para a beira-mar fazer uns puxanços com alguém disposto a perceber qual dos dois é, de facto, o mais hábil a bater umas bolas. Aceitam-se até apostas para evitar desistências de última hora. Quanto ao vencedor, fica isento de pagar os caracóis da tarde na esplanada.