Seis meses de corrida bastam para começar a sentir estas melhorias

O começo de um novo ano é sempre boa altura para começar a correr. A corrida é uma das atividades físicas mais baratas e os seus benefícios – comprovados em vários estudos – são vários. O El País enumerou alguns deles – além de manter a forma e de, possivelmente, perder peso – que poderá começar a sentir logo nos primeiros meses de atividade.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografias da ShutterStock

A paixão pela corrida é cada vez mais evidente. É uma modalidade que acolhe pessoas de todas as idades, não é dispendiosa e, além de tudo isto, tem vários benefícios para a saúde. Com base em várias investigações científicas, o El País enumerou alguns que pode sentir logo após os primeiros seis meses.

Abranda o envelhecimento

É sabido que quando as células envelhecem, os telómeros encurtam e desgastam-se naturalmente, sendo que ter longos telómeros significa maior longevidade. Num ensaio com 124 pessoas envolvidas, entre os 30 e os 60 anos, publicado no European Heart Journal, os cientistas constataram que os indivíduos que correram pelo menos 3 vezes por semana, durante 45 minutos, viram os seus telómeros crescer entre 3,3 a 3,5 por cento. Este efeito, comparado com outro grupo que fez apenas exercícios de força, como levantar pesos, não obteve os mesmos benefícios.

Atrasa a degeneração cognitiva

Um estudo recentemente publicado na revista Neurology conclui que correr pode reverter os efeitos mentais do envelhecimento. Os cientistas analisaram cerca de 160 pessoas consideradas sedentárias, acima dos 55 anos e que apresentavam sinais de degeneração cognitiva. Seis meses de exercício bastaram para que se notasse melhorias nas habilidades cognitivas. Os indivíduos dividiram-se em quatro grupos: um fez uma dieta rigorosa – sem sal nem gorduras –, outro aplicou um plano de exercícios, um outro só ouviu conselhos de profissionais de saúde e, por último, outro grupo fez a combinação entre exercícios regulares e uma alimentação saudável. Verificou-se que o grupo com melhor pontuação e, por isso, mais melhorias, foi o que aplicou uma nova dieta e programas de exercícios: regrediu a «idade cerebral» em cerca de nove anos.

Aumenta a potência sexual dos homens

Outro dos benefícios associados à corrida está relacionado com a disfunção erétil. Um estudo publicado em junho último considera que correr durante 160 minutos por seis meses pode contribuir para resolver problemas de ereção provocados por inatividade física, obesidade, hipertensão, síndrome metabólica ou doenças cardiovasculares. «Assim, o exercício físico de intensidade moderada está associado à função erétil normal e a um menor risco de disfunção erétil», pode ler-se neste estudo.


Veja também:

Nunca é tarde para levantar pesos (e fazer exercício), diz novo estudo