Uma coisa ou outra. E-mails de trabalho em casa prejudicam a sua relação

Responder a e-mails do trabalho fora de horas pode ganhar-lhe pontos com o seu chefe mas em casa a conversa é outra, diz estudo.

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia da iStock

Uma pesquisa da Academy of Management Best Paper Proceedings sugere o que já todos desconfiávamos. Consultar os e-mails de trabalho 24 horas por dia (incluindo fins de semana) afeta a saúde mental e o bem-estar dos empregados e dos parceiros respetivos.

Foram avaliadas 142 pessoas que estão «sempre disponíveis», bem como os seus maridos ou mulheres. O grupo respondeu a questões relacionadas com as expetativas da empresa acerca das comunicações eletrónicas fora das horas laborais e a perguntas sobre saúde, bem-estar e satisfação dentro da relação. Cerca de 100 chefes dos inquiridos também foram questionados sobre o tema.

Os indivíduos que assumiram sentir a obrigação de verificar o e-mail fora das horas de trabalho mostraram níveis de ansiedade superiores e, no geral, menos bem-estar. Este resultado não teve a ver com a quantidade de horas que passavam na conta de e-mail do trabalho, sugerindo que apenas a expetativa de estar online era suficiente para ter efeitos negativos.

O mesmo efeito estendia-se aos companheiros das pessoas que estavam sempre disponíveis para o trabalho. Estes demonstraram também piores níveis de bem-estar, saúde e satisfação com a relação.

Liuba Belkin, professor de gestão e uma das autoras do estudo, disse à revista Time que estes resultados deveriam mudar a forma como as empresas lidam com a comunicação através da tecnologia. «As organizações deveriam limitar as horas em que é permitido usar o e-mail do trabalho. A ideia base é criar fronteiras para os seus empregados.»

Essencialmente, é importante criar espaços para tudo: o do trabalho e o espaço da família e lazer, que deve ter prioridade sobre o resto. Para o bem do seu relacionamento.