Reatar com o ex pode fazer-lhe mal à saúde. É a ciência que diz

Se está constantemente a acabar e reatar com o seu ex, esta é a altura para acabar com esse ciclo, diz novo estudo. Para bem da sua saúde.

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia iStock

A pesquisa, publicada no jornal Family Relations, questionou 545 pessoas comprometidas sobre os seus níveis de ansiedade e stress e se mantinham uma relação yo-yo, em que acabavam e recomeçavam frequentemente.

Um terço dos inquiridos admitiu ter uma relação inconstante. O estudo comprovou que este comportamento estava relacionado com o aumento do stress e ansiedade.

Mesmo tendo em conta todos os fatores adicionais como a situação familiar, o lugar onde viviam e stresses exteriores à relação, os especialistas concluíram que, quanto mais o casal vivia esses ciclos instáveis, mais ansiosos se tornavam os intervenientes.

É importante que cada casal saiba exatamente os motivos pelos quais está a reavivar a relação e que esses sejam construtivos e levem a um novo capítulo da relação.

É possível que pessoas que já tenham índices de depressão ou ansiedade estejam mais inclinadas para relações voláteis, mas, ainda assim, Kale Monk, professor da Universidade de Missouri, admitiu à TIME que «este tipo de relações pode causar transtornos a qualquer pessoa».

Uma separação pode ajudar o casal a clarificar sentimentos e perceber o quanto gostam um do outro. No entanto, segundo Monk, voltar ao passado pode significar «voltar a uma relação tóxica apenas por hábito, conveniência ou obrigação. Nenhuma destas opções se conjuga com uma relação saudável.»

É importante que cada casal saiba exatamente os motivos pelos quais está a reavivar a relação e que esses sejam construtivos e levem a um novo capítulo da relação.

«Está tudo bem em acabar relações tóxicas. Se já não há solução, não se sinta culpado em terminar esse capítulo, pelo bem da sua saúde mental e bem-estar»

«Cada um deve perguntar-se: “desta vez vai ser diferente?”. E devem falar abertamente sobre as questões que levaram à separação e qual a probabilidade de voltar a surgir desta vez. É mesmo importante que estejam na “mesma página” sobre o que precisa de ser melhorado», reforça. Se não há consenso, o melhor é acabar de vez.

«Está tudo bem em acabar relações tóxicas. Se já não há solução, não se sinta culpado em terminar esse capítulo, pelo bem da sua saúde mental e bem-estar», conclui o professor.